REN planta 46 mil medronheiros em corredor da linha de energia Penela-Tábua

O corredor, que passa por sete municípios, representa um total de cerca de 168 hectares.

Foto
pbc pedro cunha

Mais de 100 alunos do concelho de Pedrógão Grande participaram nesta sexta-feira numa acção de reflorestação da REN, que marca a reconversão de 168 hectares ao longo da linha de energia Penela - Tábua, com a plantação de 46 mil medronheiros.

Munidos de pás e luvas, alunos do 2.º e 3.º ciclo plantaram nesta sexta-feira, ao início da tarde, medronheiros na zona de Escalos Cimeiros, concelho de Pedrógão Grande, sinalizando o arranque da rearborização do corredor da linha de alta tensão entre Penela e Tábua.

O corredor, que passa por sete municípios, representa um total de "cerca de 168 hectares", sendo plantados 46 mil medronheiros ao longo dessa faixa, disse à agência Lusa a directora de comunicação e sustentabilidade da REN - Redes Energéticas Nacionais, Margarida Ferreirinha.

"Toda a rearborização que fazemos nas faixas de servidão é feita com espécies autóctones. O medronheiro foi escolhido porque é uma espécie que temos em Portugal e porque o município [de Pedrógão Grande] mostrou interesse que o utilizássemos", explicou.

Esta é mais uma de várias acções de reflorestação da REN ao longo das faixas de servidão que acompanham as linhas de transporte de energia.

De acordo com Margarida Ferreirinha, nos últimos dez anos, a REN rearborizou "mais de dois mil hectares", utilizando sempre espécies autóctones, como o sobreiro, carvalho ou o pinheiro manso.

"Nos últimos dez anos, temos apostado numa forma diferente de fazer a rearborização, envolvendo muito os proprietários das terras, para fazer com que percebam que ao escolherem estas espécies podem ter algum retorno financeiro, ao mesmo tempo que se estimula o cuidar das terras e o trabalhar das terras", afirmou.

Para além da rearborização, a REN garante também a limpeza e gestão das faixas de servidão, tendo limpado "mais de 20 mil hectares nos últimos quatro anos", acrescentou.

Segundo a responsável, estão previstas mais acções de reflorestação durante este ano, ao longo do país.

Durante a sessão de apresentação, que ocorreu antes da reflorestação, o presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, enalteceu a importância de se apostar no medronheiro, uma planta "que produz ao longo do ano" e que se pode tornar num "rendimento importante" para o concelho.

"Espero que exijam aos mais velhos e a quem de direito que plantem árvores e espécies que tenham a ver com a segurança das florestas e das pessoas", disse o autarca, dirigindo-se para uma plateia composta maioritariamente por jovens.

A iniciativa da REN, sublinhou, "é boa: Já traz electricidade, agora traz também medronhos".

A acção de reflorestação que arrancou nesta sexta-feira contou com a parceria da Unidade de Missão para a Valorização do Interior, da Câmara Municipal de Pedrógão Grande e da Quercus.