Pela primeira vez a Arábia Saudita assiste a uma semana da moda

Só as mulheres podem assistir à passagem de modelos. É proibido tirar fotografias.

Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER
Fotogaleria
Reuters/FAISAL AL NASSER

Mulheres elegantes, sauditas de cabelos escuros e louras da Europa de Leste, enchem os salões de ouro do Ritz-Carlton Hotel, em Riad, marcando o início da primeira semana da moda da Arábia Saudita.

Modelos e maquilhadores preparam-se para a cerimónia de abertura da Semana da Moda Árabe e muitos revelaram à Reuters a surpresa de o evento acontecer naquele reino muçulmano que é "profundamente conservador". "Estamos muito entusiasmados porque esta é a primeira semana de moda na Arábia Saudita, ou seja, estamos a fazer história", declara a modelo Anita Dmycroska.

Mas esta não é uma semana igual às de Londres, Paris ou Nova Iorque. Os homens puderam participar na cerimónia de abertura, mas só as mulheres podem assistir às passagens de modelos. É proibido tirar fotografias. 

Recorde-se que as mulheres na Arábia Saudita usam longas e escuras túnicas, abayas, símbolos de piedade, além de serem obrigadas a cobrir a cabeça. Com as reformas mais recentes, em algumas cidades, as mulheres começaram a usar túnicas mais coloridas, por vezes enfeitadas com rendas e veludos ou deixadas abertas, mostrando saias longas ou calças de ganga por baixo.

Desenvolver a moda local

O evento, inicialmente previsto para o mês passado, foi adiado devido a atrasos na emissão de vistos. Figuras da indústria da Itália, Rússia e Líbano reuniram-se em Riyadh, muitos pela primeira vez, para admirar o trabalho de designers locais e internacionais.

Layla Issa Abouzeid, directora da Arábia Saudita para o Conselho da Moda Árabe, do Dubai, que organiza o evento, disse que 1500 pessoas devem marcar presença, incluindo 400 do estrangeiro. A responsável, espera que este evento traga receitas para o reino, mas que também dê destaque aos talentos locais.

Quando “as pessoas vão a Paris para a semana da moda, os hotéis estão completamente esgotados”, exemplifica, acrescentando que quer criar a mesma procura na Arábia Saudita. “Eu quero criar uma plataforma para os designers locais chegarem ao mundo todo”, aponta.

O  veio a Riad para exibir sua coleção de alta costura.

"Estou muito orgulhoso por participar nesta primeira edição do Arab Fashion Week na Arábia Saudita, porque é parte da revolução das mulheres neste país", declara o designer libanês Naja Saade, que defende que ao misturar talentos da Europa e colocar marcas internacionais no mesmo espaço que as árabes, isso venha a promover os designers locais.

O Conselho da Moda Árabe quer introduzir na Arábia Saudita cursos de moda, estágios e bolsas de estudo e, paralelamente, desenvolver um bairro de moda na capital.

Sugerir correcção