Porto espera 700 artistas em encontro internacional de rede de artes perfomativas

Plenário da International Network for Performing Arts decorre de 26 a 29 de Abril sob o tema Outros Centros.

Foto
A performance Involuntários da Pátria, de Fernanda Silva MAURÍCIO POKEMO

A organização do encontro plenário da IETM – International Network for Performing Arts, que acontece no Porto de 26 a 29 de Abril, espera cerca de 700 profissionais de todo o mundo, anunciou esta manhã numa conferência de imprensa de apresentação do programa.

"Acreditamos que vamos chegar aos 700 inscritos", disse aos jornalistas o director do Teatro Municipal do Porto (TMP), Tiago Guedes, adiantando que "neste momento há 600 e tal inscrições de 41 países diferentes".

O IETM regressa a Portugal, 20 anos depois de se ter realizado em Lisboa, e vai desenrolar-se nesta edição sob o tema Outros Centros, contando no primeiro dia com uma sessão sobre colonialismo. "Normalmente escolhe-se um grande pensador do país, mas achámos que devíamos tornar a sessão o mais performativa possível", revelou Tiago Guedes. A brasileira Fernanda Silva, actriz e fundadora do Grupo de Teatro Metáfora, sediado em Parnaíba, no Piauí, encarnará textos do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro na performance Involuntários da Pátria, seguindo-se uma palestra com o escritor e geógrafo português Álvaro Domingues sobre os novos e os velhos centros (dia 26, a partir das 16h, no TMP).

Ao longo dos quatro dias, o IETM promoverá 26 sessões de trabalho, 14 actividades sociais e 11 espectáculos, entre as quais o workshop Artes em Perigo (dia 27, às 11h, na Reitoria da Universidade do Porto) e vários percursos artísticos pela cidade, focados designadamente no centro do Porto (dia 27, às 10h), em Campanhã (dia 27, às 14h) e nas zonas da Batalha e do Bonfim (dia 28, às 10h).

O IETM, que realiza anualmente dois encontros plenários em diferentes cidades europeias, acontece paralelamente a mais uma edição do Festival DDD – Dias da Dança, que decorre entre 26 de Abril e 13 de Maio entre os concelhos de Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, razão pela qual a organização do encontro é uma tarefa repartida entre a Bússola, de Santa Maria da Feira, e o TMP.

O IETM, que conta com um orçamento global de 194 mil euros, é apoiado com 50 mil euros pela Câmara do Porto; a Direcção Geral das Artes contribuiu com outros 50 mil euros, e o projecto Europa Criativa com 79 mil euros. Os restantes 15 mil provêm das inscrições, informou o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

Tiago Guedes sublinhou "a transformação da cidade, relativamente à forma como a cultura é posicionada no centro das decisões políticas" da cidade, considerando "normal" que o Porto tenha sido contactado pelo IETM, já que se trata de um congresso "que tenta inscrever-se numa geografia social, política e cultural".

Qualquer pessoa pode participar nas actividades do IETM, que começam com um pré-encontro, no dia 25 de Abril, em Guimarães.

Sugerir correcção