Actualização do iPhone estraga ecrãs reparados fora da Apple

O problema surge depois de instalar o novo iOS 11.3.

A Apple é acusada de prevenir os clientes de procurar serviços de reparação fora da Apple
Foto
A Apple é acusada de impedir os clientes de procurar serviços de reparação fora da Apple Reuters/EDUARDO MUNOZ

As actualizações mais recentes ao sistema operativo do iPhone – o iOS 11.3 – estão a causar problemas nos ecrãs de aparelhos que foram reparados por profissionais fora da Apple.

De acordo com queixas a circular na Internet, depois de actualizar o sistema do iPhone, os ecrãs de pessoas que levaram os seus aparelhos a oficinas que não são da Apple deixam de responder ao toque ou “desligam” várias vezes ao dia. Alguns ecrãs deixam de funcionar por completo. A informação foi avançada pelo site de tecnologia Motherboard e por vários blogues para fãs da Apple como o 9to5Mac. Há também queixas a circular na página oficial de suporte da Apple no Twitter.

A Apple ainda não se pronunciou publicamente sobre o caso. O lançamento do iOS 11.3, no dia 29 de Março, incluía melhorias ao nível da segurança e do tempo de vida útil da bateria do aparelho. Em Dezembro, a empresa foi alvo de críticas severas por admitir abrandar o desempenho dos telefones mais antigos depois do lançamento do iPhone 8 e do iPhone X. As actualizações do mês passado devem corrigir estes problemas.

Os profissionais de informática que arranjam aparelhos da Apple (mas que não trabalham para a empresa) acusam a gigante tecnológica de impedir os seus clientes de utilizar outros serviços. Não é a primeira vez que este tipo de problema surge. Em 2016, vários advogados ameaçaram processar a Apple devido ao “Erro 53” – uma mensagem que surgia e deixava os iPhones completamente inutilizáveis (presos num ciclo infinito de reparações automáticas) se as pessoas tivessem utilizado serviços de terceiros para substituir o botão de iniciar do iPhone. Por volta dessa altura, o lançamento de uma nova versão do sistema operativo também afectou vários ecrãs do iPhone 7, levando a empresa a criar actualizações gratuitas para corrigir o problema.

A utilização de serviços de terceiros para corrigir problemas com o iPhone, em vez das lojas oficiais da Apple, é comum devido à diferença de preços. Em aparelhos sem garantia, pedir à Apple para substituir um ecrã partido pode facilmente ultrapassar os 300 euros no modelo mais recente e vai além dos 600 euros se a substituição incluir áreas além do vidro.