Morreu o músico José Mafra do Conjunto António Mafra

Foto

O músico José Mafra, de 83 anos, um dos fundadores do Conjunto António Mafra, morreu na segunda-feira à noite, no Porto, e o funeral realiza-se na quarta-feira, disse à agência Lusa o agente do grupo.

O velório do músico realiza-se na Igreja do Cristo Rei, no Porto, onde na quarta-feira, pelas 15h, é celebrada missa de corpo presente, seguindo-se o funeral para o Cemitério de Agramonte, na mesma cidade.

O Conjunto António Mafra, do qual José Mafra era viola, protagonizou êxitos como Sete e Pico, O Carteiro, Ora Vejam Lá, Abre a Pipa Beatriz e O Carrapito da D. Aurora, entre outros.

"Foram dezenas de êxitos, em cerca de seis décadas de actividade", disse à Lusa Rui Guerra, agente do grupo.

O vocalista do grupo, Manuel Barros, morreu em Julho de 2016. Em 1977, tinha morrido António Mafra, compositor e letrista, do conjunto, intérprete de guitarra portuguesa, o que levou o grupo a interromper a actividade até 1986, quando entrou Manuel da Campanhã, com viola braguesa e cavaquinho, que ocupam o lugar da guitarra portuguesa do seu mentor.

O grupo manteve-se em actividade até 2011, tendo realizado diversas digressões e actuado em diferentes estações televisivas internacionais, designadamente em Espanha, França, Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Angola, Moçambique e África do Sul, entre outros países, disse a mesma fonte.

Da discografia do Conjunto António Mafra, fazem parte mais de uma centena de EP (Extended Play) e "mais de vinte LP" (Long Play), "tendo sido os primeiros artistas portugueses a gravarem nos estúdios da RCA, em Nova Iorque, aquele que veio a ser o primeiro LP nacional em estereofonia", disse Rui Guerra, que acrescentou: "Curiosamente, neste estúdio, esteve a gravar, na noite anterior, Elvis Presley".

Em 2004, a discográfica Movipelay Portuguesa editou um CD dos êxitos do Conjunto António Mafra, na colecção O Melhor dos Melhores, dirigida pelo produtor Mário Martins.

Algumas canções do grupo foram gravadas por nomes como Sérgio Godinho, Sitiados, ódagaita, Vozes da Rádio, Roberto Leal e Dino Meira, entre outros. O maestro José Calvário escolheu um dos seus temas para fazer parte do álbum que gravou com a Orquestra Sinfónica de Londres.

O Conjunto António Mafra apresentou-se ao público pela primeira vez no Cantinho da Rambóia, no Porto, na noite de S. João de 1955, e gravou grande parte da sua discografia na etiqueta Orfeu, de Arnaldo Trindade.

O Manjerico, Sopas de Vinho não Embebedam, Pancadinhas do Meu Alho e Arrebita, Arrebita, Arrebita foram outros êxitos deste grupo, que "talvez tenha sido o que mais músicas dedicou ao S. João do Porto".

Sugerir correcção