Ministra do Mar defende "mudança de paradigma" entre Portugal e Espanha na logística

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, defendeu hoje uma mudança de paradigma nas relações entre os procedimentos e plataformas logísticas de Portugal e Espanha, no sentido de criar “mais emprego” e “movimentação de carga”.

Foto
LUSA/NUNO VEIGA

A governante, que falava aos jornalistas em Elvas (Portalegre) à margem da assinatura de um memorando de entendimento em matéria de logística transfronteiriça (Corredor Atlântico na Rede Transeuropeia de Transportes) com o Governo de Espanha, defendeu ainda que este acordo vai ajudar a “potenciar” as capacidades logísticas dos dois países.

“Esta assinatura (memorando) tem a ver com as conclusões de uma reunião extremamente importante com o presidente do Governo da Extremadura espanhola, com o presidente da Câmara Municipal de Elvas, em que concluímos das vantagens que existem, para todas as partes, de haver uma abordagem conjunta daquilo que é a logística nesta região”, explicou.

De acordo com Ana Paula Vitorino, este memorando “permite ligar” as plataformas e todos os procedimentos logísticos da área espanhola com os procedimentos e as plataformas logísticas do território português.

“Desta forma, podemos potenciar as capacidades de ambos os países e de todas estas empresas”, sublinhou.

Para a ministra do Mar, este acordo ultrapassa a modernização desta área, considerando que através do mesmo vai haver uma “mudança de paradigma” no sector, deixando os dois países de trabalhar “cada um para seu lado” e de “costas voltadas”.

Já o presidente do Governo Regional da Extremadura, Guillermo Fernández Vara, no decorrer da sua intervenção, considerou que a assinatura deste memorando vem “reforçar” a “união” entre os dois países.

Além deste memorando de cooperação transfronteiriça para o desenvolvimento do Corredor Atlântico na Rede Transeuropeia de Transportes, que permite ligar os portos do sul de Portugal à Península Ibérica, ao sudoeste europeu e ao resto da Europa, foi também celebrado um protocolo de colaboração entre as entidades dinamizadoras do projecto Janela Única Logística.

Neste projecto estão envolvidas a Direcção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos, a administração do Porto de Lisboa, a administração dos Portos de Sines e do Algarve e as entidades responsáveis pela dinamização da Plataforma Logística de Elvas, nomeadamente o município e a Trânsitos de Extremadura (Transitex).

Para o presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha, este protocolo vem “reforçar” a ligação entre os dois países, tendo ainda destacado na sua intervenção a importância do projecto Janela Única Logística para a região.

“O que basicamente se pretende (Janela Única Logística) é a desmaterialização e, se quiserem, que não haja fronteira para que as nossas mercadorias possam entrar, possam circular e que possam estar georreferenciadas sem que haja qualquer entrave àquilo que é a livre circulação de mercadorias”, sublinhou.