Raw Pixel/Unsplash
Foto
Raw Pixel/Unsplash

Em Angra do Heroísmo, a semana é do empreendedorismo

Autarquia promove de 9 a 13 de Abril formações, palestras e acções em escola para motivar os jovens locais para o empreendedorismo

A Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, nos Açores, vai promover uma semana municipal de empreendedorismo, entre 9 e 13 de Abril, com formações, palestras e acções em escolas, para motivar sobretudo os jovens.

"Contamos que esta seja mais uma boa oportunidade para os jovens angrenses adquirirem aquilo que são as ferramentas necessárias para se tornarem melhores empreendedores, para criarem o seu negócio e para — e esse é o objectivo de fundo — prepararmos também a nível económico o nosso concelho, para uma transição para uma dinâmica mais reforçada do tecido empresarial privado", adiantou, de acordo com a Lusa, o vereador da autarquia açoriana Guido Teles, em conferência de imprensa. Segundo André Leonardo, jovem natural de Angra do Heroísmo e fundador da empresa Faz Acontecer, que promove palestras e formações sobre empreendedorismo, a iniciativa pretende envolver mais de 500 pessoas.

A semana municipal de empreendedorismo, financiada por fundos comunitários, arranca com formações em duas escolas profissionais, na segunda-feira, para preparar os estudantes, que estão a terminar a sua formação para a entrada no mercado de trabalho. Na terça-feira será o Dia do Empreendedor e haverá uma mostra sobre a incubadora de empresas Start Up Angra e sobre alguns dos projectos que acolhe, seguindo-se uma palestra motivacional com André Leonardo. Nos dois dias seguintes, quarta e quinta-feira, serão realizadas formações abertas ao público sobre redes sociais e vendas, bem como sessões de mentoria para as empresas incubadas na Start Up Angra. Durante toda a semana, a incubadora, que acolhe actualmente cerca de 30 projetos, estará aberta ao público, permitindo o contacto e a troca de ideias com os empresários.

Para André Leonardo, os Açores ainda estão a dar os primeiros passos no que toca ao empreendedorismo, mas oferecem todas as condições a quem criar um negócio. "A nível regional existem apoios para criação de empresas como não existem no resto do país e eu arrisco-me a dizer no mundo. E eu estive em vários ecossistemas pelo mundo inteiro. Não existem incentivos de 50/60% a fundo perdido. Isto é uma coisa inacreditável", salientou. O jovem empresário admitiu que a insularidade traz alguns constrangimentos, mas defendeu que podem ser ultrapassados. "É claro que temos restrições: o mercado interno é muito pequeno e fragmentado. Mas também existem soluções para isso. Tudo o que é vendido pela Internet não interessa se está na ilha Terceira, na China ou nos Estados Unidos", frisou.

André Leonardo sublinhou a necessidade de se continuarem a desenvolver actividades que promovam o empreendedorismo, de forma constante, para que a mensagem chegue a todas as pessoas. "Ainda há muita falta de informação. Há muita gente que ainda não vê o auto-emprego ou a criação de um negócio como uma possibilidade de carreira. Passa muito por desmistificar esse conceito", apontou.