Detectada Legionella no Hospital das Caldas da Rainha

Os serviços do hospital já estão a avançar com a desinfecção dos espaços. Não há registo de pessoas infectados.

Os serviços encontram-se a funcionar normalmente
Foto
Os serviços encontram-se a funcionar normalmente Paulo Pimenta

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) admitiu esta quinta-feira ter sido detectada a bactéria legionella no serviço de Imunohemoterapia do Hospital das Caldas da Rainha, mas não há doentes infectados nem serviços condicionados.

A bactéria legionella pneumophila foi detectada "num lava loiça de uma copa (sala de apoio)" do serviço, "em valores baixos, de cinco UFC/1000 ml", à agência Lusa o director clínico do CHO, António Curado.

Questionado pela Lusa, o mesmo responsável assegurou que, para além da copa, "não há quaisquer doentes afectados nem serviços condicionados", bem se prevê que venha a ser necessário o encerramento de qualquer serviço do hospital das Caldas da Rainha.

A presença da bactéria "foi detectada durante as análises de rotina regulares" à água daquela unidade, cujos resultados foram conhecidos na terça-feira, mas, sublinhou o director clínico, "dizem, no entanto, respeito a recolhas efectuadas a 21 de Março".

O director clínico adiantou que foram já realizados "choques térmicos e reforço da concentração de cloro, através dos Serviços Municipalizados das Caldas da Rainha" a par com outras intervenções técnicas no sector afectado, entre as quais "a colocação de bomba de reforço da circulação no circuito e eliminação de válvula termostática".

Foram ainda realizadas desinfecções químicas de chuveiros em toda a ala da zona e "o acesso à torneira com resultado positivo foi vedado até novas análises".

A presença da bactéria Legionella tinha já determinado, em Janeiro, o encerramento de um dos dois serviços de Ortopedia do Hospital de Torres Vedras, outra das unidades do CHO, mas, segundo o director clínico "as análises de Ortopedia de Torres Vedras e de todos os outros serviços do CHO estão actualmente negativas".

O CHO integra os hospitais das Caldas da Rainha, Torres Vedras e de Peniche e detém uma área de influência constituída pelas populações daqueles três concelhos e dos de Óbidos, Bombarral, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com excepção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estevão das Galés e Venda do Pinheiro).

A população abrangida é de 292.546 pessoas, número, que sobe para mais de 300 mil pessoas devido a eventos sazonais e aos doentes referenciados pelos centros de saúde.