Arquitectura

Guarda: uma casa do passado com o conforto do presente

Fotogaleria

"Reabitar e reabilitar com o mínimo de demolição e menor custo possível" foi a mensagem passada pelos proprietários da casa São Francisco, situada no centro da cidade da Guarda, a Filipe Pina, o arquitecto responsável pelo processo de transformação.

 

“O objectivo", conta ao P3 o arquitecto de 34 anos, "era trazer salubridade de volta" ao espaço, construído na primeira metade do século XX. “Não havia luz [natural] e era uma casa carregada de ornamentos”, aponta Filipe Pina. Para o jovem casal que vive na habitação, uma das missões passava pela junção entre a memória do passado e o conforto do presente. A organização original da casa foi, por isso, mantida, bem como os soalhos, carpintarias e alguns tectos. Através de pequenas demolições e alterações, foram criados novos percursos que permitem uma confluência de todos os diferentes espaços da casa.

 

O projecto foi “um processo evolutivo” que ia sendo actualizado “com o decorrer da obra”, explica o arquitecto — os proprietários são seus amigos pessoais, o que também ajudou. O orçamento foi uma preocupação constante, até atendendo à dimensão considerável do edifício — 300 metros quadrados —, o que poderia elevar consideravelmente a despesa. Não aconteceu. A meta foi cumprida, com o custo da renovação a cifrar-se nos 280 euros por metro quadrado. Olhando para o resultado final, o arquitecto nascido em Paris mostra-se satisfeito.

Nova ligação entre dois espaços
Nova ligação entre dois espaços
Um dos objectivos principais era a boa iluminação do espaço
Um dos objectivos principais era a boa iluminação do espaço
A casa fica localizada no centro da cidade da Guarda
A casa fica localizada no centro da cidade da Guarda