Sintra vai aplicar taxa turística a partir do próximo ano

A taxa terá um valor de dois euros e será aplicada por cada quarto das unidades hoteleiras, num período nunca superior a três dias.

Basílio Horta afirma que as receitas provenientes da taxa turística serão aplicadas na reabilitação do centro histórico da vila
Foto
Basílio Horta afirma que as receitas provenientes da taxa turística serão aplicadas na reabilitação do centro histórico da vila Miguel Manso

A Câmara de Sintra vai cobrar uma taxa turística a partir do próximo ano, sendo as receitas aplicadas na reabilitação do centro histórico da vila, anunciou nesta quarta-feira o presidente Basílio Horta (PS).

“Nós vamos fazê-lo agora [aplicação da taxa turística] porque temos um conjunto de grandes investimentos em hotéis. Há 30 anos que não se fazia um hotel em Sintra e agora temos um investimento de mais de 80 milhões. É uma taxa perfeitamente equilibrada, não custa praticamente nada a pagar e esse dinheiro é essencial para a requalificação”, sublinhou o autarca.

A taxa terá um valor de dois euros e será aplicada por cada quarto das unidades hoteleiras, num período nunca superior a três dias, segundo explicou na manhã desta quarta-feira aos jornalistas o autarca socialista, no final de um debate sobre requalificação urbana no centro histórico de Sintra.

Basílio Horta referiu que o investimento total previsto para a requalificação do centro histórico de Sintra é de cerca de 50 milhões de euros e inclui intervenções ao nível do saneamento básico e no edificado, tanto municipal como privado, ressalvando que se trata de um processo que “carece de muito cuidado e sensibilidade”.

“Temos consciência de que é necessária uma requalificação profunda, mas que tem de ser feita com cuidado. Estamos a falar de um território muito sensível”, apontou.

O autarca socialista realçou ainda a importância de se ter limitado a circulação automóvel no centro histórico, sublinhando que este deve ser das pessoas e não dos carros. “Comigo não haverá um único parque de estacionamento na zona histórica”, assegurou.