A obra de arte, o golo de uma geração. Como Ronaldo está a ser elogiado

O pontapé de bicicleta de Cristiano Ronaldo frente à Juventus causou sensação na imprensa internacional. Veja aqui algumas das reacções dos principais meios de comunicação europeus.

Fotogaleria
"Marca", Espanha
Fotogaleria
"As", Espanha
Fotogaleria
O golo de pontapé de bicicleta que Cristiano Ronaldo marcou esta terça-feira frente à Juventus nos quartos-de-final da Liga dos Campeões Reuters/ALBERTO LINGRIA
Fotogaleria
"Corriere dello Sport", Itália
Fotogaleria
"TuttoSport", Itália
Fotogaleria
"Gazzetta dello Sport", Itália
Fotogaleria
"L'Équipe", França
Fotogaleria
"A Bola", Portugal
Fotogaleria
"Record", Portugal

Marca: "Cristiano ganha o céu"

A Marca, jornal desportivo de Madrid, não poupa elogios ao golo de Cristiano Ronaldo: "Um golo para a história, para o santuário da segunda era de ouro do Real Madrid. Um pontapé de bicicleta que se recordará para sempre", escreve o repórter Jesus Sánchez, acrescentando que "foi incrível mas aconteceu": "O golo com que sempre sonhou, um golo histórico de uma lenda do futebol num cenário mítico", escreve ainda o cronista da Marca, afirmando que depois do golo de Cristiano Ronaldo o jogo "passou a ser secundário": "O novo Di Stéfano ganhou o céu".

Ás: “De que planeta vieste?”

O golo de Ronaldo merece uma pergunta na primeira página e no título da crónica de jogo do jornal desportivo espanhol Ás. “De que planeta vieste?”. No texto, Luis Neto destaca “o golo de época” de Ronaldo. “O golo mil vezes tentado foi conseguido finalmente num cenário ideal, premiado pelo público, que o viu como quem olha para um Velásquez.” O director do jornal, Alfredo Relaño, destaca, por sua vez, o “golo para a história”, um “prodígio de execução, em que apanhou a bola a 2,23 metros de altura”.

El País: “Na área como no céu”

“Cristiano é infinito”, escreve José Sámano na crónica de jogo do El País, considerando que o avançado português realizou mais uma “exibição monumental” e marcou um golo de museu. Também no El País, Manuel Jabois escreve um artigo de opinião com o sugestivo título “Cristiano, assim na área como no céu”. “Cristiano marcou o golo de uma geração. O golo que durante dez anos no Real Madrid tentou de todas as maneiras e frente a todos os rivais, sempre com resultado catastrófico: queria fazer um pontapé de bicicleta e saía um meme”, escreveu o jornalista e escritor. Agora, finalmente surgiu o golo tão procurado. “Foi o remate de um avançado que prova por fim que pode voar, depois de se ter atirado pela janela durante dez anos”.

El Mundo: "Cristiano Ronaldo marca o golo da sua vida"

O El Mundo afirma mesmo que este foi o golo da vida do melhor jogador mundo: "Cristiano Ronaldo encontrou o ouro no céu chuvoso de Turim. Lá, a mais de dois metros acima da relva encharcada, encaixou o golo da sua vida", diz o jornal espanhol. O jornalista Jaime Rodríguez acrescenta que esta era "a bicicleta que procurava há anos, a fotografia que faltava ao melhor avançado da história", "obra de arte" que conseguiu desenhar diante de uma lenda - referindo-se ao guarda-redes Gianluigi Buffon - que tudo o que pôde fazer foi "observar com desânimo" a bola a entrar na sua baliza. "Quiçá um dos mais belos golos já vistos na Liga dos Campeões", escreve ainda o jornal, comparando ao golo de Zidane em Glasgow, na final da Champions de 2002.

Gazzetta dello Sport: “Uma obra-prima”

“Fechem tudo depois de um golo como este. Esta é a primeira reacção à obra-prima com a qual Cristiano Ronaldo assinou o 2-0 no Allianz Stadium, com 90% dos adeptos da Juventus a aplaudi-lo”. Assim começa a crónica da La Gazzetta dello Sport, jornal desportivo italiano, para quem este lugar “terá um lugar especial” na carreira do avançado português. Na primeira página, o jornal titula "CR WOW", destacando que "a Juventus foi ultrapassada pelo Real e por um marciano”. "Um anjo contra os humanos" escreve ainda o jornal, destacando igualmente a gratidão do português após a ovação dos adeptos da Juventus.

Corriere dello Sport: “Obra de arte”

É o caso de outro jornal desportivo italiano que se rendeu a Cristiano Ronaldo. “Obra de arte” foi o título escolhido pelo Corriere dello Sport, que destaca ainda as palavras de Buffon, guarda-redes da Juventus: “Ronaldo é como Pelé e Maradona”. No site do jornal, o director questiona mesmo se não será Cristiano Ronaldo o melhor jogador de sempre. “Durante anos discutiu-se se Maradona é melhor do que Pelé ou se Messi é melhor do que Maradona. Nós, por outro lado, perguntamos que se não é Cristiano Ronaldo o melhor avançado de todos os tempos, capaz de marcar com o pé direito, o esquerdo, de cabeça, de bicicleta, de penálti e de livre, resolvendo quase todos os jogos que interessam”, escreve Alberto Dalla Palma

The Guardian: "O pontapé de bicicleta incrível de Ronaldo"

O Guardian refere-se ao momento de silêncio que se fez sentir no estádio depois do pontapé de bicicleta de Ronaldo. As pessoas estavam incrédulas: "Era como se ninguém conseguisse compreender o que tinham testemunhado. E depois os aplausos irromperam [no estádio]", diz o repórter David Hytner. Já não importava mais que Cristiano Ronaldo pertencesse à equipa rival, "os apoiantes da Juventus puseram-se de pé" para "reconhecer o génio do desporto". "Uma intervenção de cair o queixo" do jogador português que, aos 33 anos, "não mostra sinais de abrandar", remata o jornal britânico.

BBC: "Um dos grandes momentos da Liga dos Campeões"

A estação televisiva BBC começa por descrever o pontapé de bicicleta do avançado português como "um dos melhores golos da Liga dos Campeões" que ajudou a "destruir" a Juventus nos quartos-de-final. O jogador do Real Madrid "fez história com o primeiro dos seus dois golos", tomando-se o primeiro jogador a marcar em dez jogos consecutivos na Liga dos Campeões. Depois do cruzamento de Dani Carvajal, Cristiano Ronaldo fez um "pontapé acrobático" no ar em direcção a Buffon que "não teve hipótese", diz o jornalista desportivo Emlyn Begley. "Tal foi a magnificência do golo que os fãs da Juventus levantaram-se para aplaudir o golo que provavelmente acabou com as suas esperanças de passar em frente [na competição]", acrescenta a estação televisiva britânica

L’Équipe: "Cristiano Ronaldo é único"

O jornal desportivo francês L’Équipe refere-se à vitória por 3-0 do Real Madrid liderado pelo "fantástico Cristiano Ronaldo" que fez "mesmo muito mal" à equipa italiana Juventus nos quartos-de-final da Liga dos Campeões. "A obra-prima chegou no segundo tempo", como num "retorno digno de Olive et Tom" – desenhos animados do género de Oliver e Benji – num "gesto prodigioso". "O debate sobre qual é o melhor entre Messi ou Ronaldo continuará enquanto ambos os jogadores iluminarem os campos. Mas uma coisa é certa: Cristiano Ronaldo é único", diz Sébastien Buron, jornalista do L’Équipe. A comparação com as personagens de Oliver e Benji surgiu também em sites chineses, noticia a Lusa. "Foi através da série [Campeões: Oliver e Benji, em Portugal] que muitos de nós, ainda crianças, nos apaixonámos pelo futebol. E até hoje comparamos situações em jogos reais com as acrobacias daquelas personagens", lembra o artigo publicado no portal sports.qq.com. "O golo de bicicleta de Cristiano Ronaldo fez ou não sentir essa mesma paixão", questiona o artigo, que é ilustrado de uma imagem do jogador português e da personagem manga Oliver Tsubasa a fazerem o mesmo movimento acrobático, cita a Lusa.