Tiroteio perto da sede do YouTube fez três feridos

Atacante era uma mulher que se matou após os disparos.

Fotogaleria
Reuters/SOCIAL MEDIA
Fotogaleria
Reuters/STAFF
Fotogaleria
Reuters/STAFF
Fotogaleria
Reuters/SOCIAL MEDIA
Fotogaleria
Reuters/SOCIAL MEDIA

As autoridades norte-americanas deram conta de um tiroteio junto à sede do YouTube, na Califórnia, EUA. O ataque provocou ferimentos a pelo menos três pessoas. A alegada autora do ataque, uma mulher cuja identidade não foi ainda confirmada, suicidou-se, segundo as autoridades locais.

A situação foi descrita por um dos funcionários do YouTube no Twitter. Conta Vadim Lavrusik que esteve barricado com os seus colegas de trabalho no interior do edifício para se proteger de um atirador. Na publicação mais recente acrescenta que já se encontra a salvo e fora da sede da empresa.

Imagens recolhidas por canais televisivos norte-americanos no local mostram os edifícios a serem evacuados e um grupo de pessoas a ser transferido para uma zona de segurança, com os braços esticados no ar, para serem inspeccionados pelas autoridades.

O dirigente autárquico de San Bruno, Connie Jackson, acrescentou que foram registadas "múltiplas" chamadas para o número de emergência nacional, cita a Associated Press.

De acordo com o porta-voz do hospital de São Francisco, Brent Andrew, as vítimas do ataque são um homem de 36 anos, que se encontra em estado crítico e duas mulheres, de 27 e de 32 anos, em estado grave. Inicialmente as autoridades avançaram que seriam quatro vítimas, mas o número foi actualizado para três.

No Twitter, o Presidente dos EUA elogiou a resposta das autoridades norte-americanas. "O nosso pensamento e as nossas orações estão com todos os envolvidos", escreveu Donald Trump.

A Google, dona da plataforma de vídeos, referiu que a empresa estava a trabalhar em coordenação com as autoridades.