Estação espacial chinesa caiu perto do ponto Nemo

Local no meio do Pacífico é um cemitério espacial, onde já caíram pelo menos 250 engenhos espaciais.

Foto
Tiangong-1 Gabinete de Engenharia Espacial para Voos Tripulados da China

Quando e onde caiu Tiangong-1, a antiga estação espacial chinesa? Acabou por reentrar na atmosfera terrestre às 1h15 (hora de Lisboa) desta segunda-feira e a maior parte ardeu durante essa reentrada na Terra, segundo a China. A sua queda aconteceu por cima da parte central do Pacífico Sul. Portanto, perto do chamado “ponto Nemo”, que é um cemitério de lixo espacial.

Também conhecido como Pólo da Inacessibilidade do Pacífico, chama-se ponto Nemo em homenagem ao capitão Nemo do livro Vinte Mil Léguas Submarinas de Júlio Verne. “O ponto Nemo está ao largo das costas da Antárctida, da Nova Zelândia, das ilhas Pitcairn e do Chile”, explicou Stijn Lemmens, da Agência Espacial Europeia, citado pelo jornal Le Monde. Este ponto no meio do Pacífico é o local mais distante de qualquer continente ou ilha, ficando a 2688 quilómetros da ilha Ducie, um atol desabitado que faz parte das ilhas Pitcairn. Este cemitério já acolheu de 250 a 300 engenhos espaciais em fim de vida, incluindo a estação espacial russa Mir, em 2001.

Agora caiu lá perto a Tiangong-1. Lançado em 2011, foi o primeiro laboratório espacial chinês e media 10,4 metros de comprimento. Terminou o seu tempo de vida útil em 2016 (era para ter sido em 2013), quando deixou de funcionar e de responder aos comandos terrestres. Em 2017, a China lançou o seu segundo laboratório espacial, o Tiangong-2. 

Sugerir correcção