Estas são as canções da final da Eurovisão

Das 43 canções que se apresentaram a concurso, estão escolhidas as 26 candidatas a sucessoras de Amar Pelos Dois. As canções sobem ao palco da Altice Arena neste sábado, 12 de Maio, para a grande final. O Jardim, de Cláudia Pascoal e Isaura é a aposta portuguesa para tentar a "dobradinha".

Foto
A final da Eurovisão, a primeira em Portugal, vai decorrer a 12 de Maio na Altice Arena em Lisboa Gleb Garanich/Reuters

Depois das duas semifinais a 8 e 10 de Maio, a final da Eurovisão decide por fim quem é o sucessor de Salvador Sobral. É já este sábado, dia 12 de Maio, na Altice Arena. Além das canções a concurso, haverá também actuações de Beatbombers, o duo de gira-disquismo de DJ Ride e Stereossauro, o próprio Salvador Sobral, que vai cantar com Caetano Veloso, Ana Moura, Mariza e também Branko, a quem se juntam as vozes de Sara Tavares, que regressa assim ao festival, acompanhada do rapper Plutónio, Dino D'Santiago e Mayra Andrade. A cerimónia será apresentada por Daniela Ruah, Catarina Furtado, Sílvia Alberto e Filomena Cautela.

Há seis canções que estavam à partida pré-qualificadas para esta final: as dos chamados Cinco Grandes da competição, França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido, e a portuguesa, já que ganhámos no ano passado. A essas seis juntaram-se dez canções de cada uma das semifinais.

França

Madame Monsieur - Mercy

O duo de electro-pop que une a cantora Émilie Sattonet ao produtor Jean-Karl Lucas escreveu e gravou esta canção sobre a crise dos refugiados que foi baseada numa história verídica que aconteceu no ano passado. O nome do tema é o nome de uma criança que nasceu em alto-mar, filha de pais nigerianos que estavam a fugir da violência no seu país natal a bordo de um barco de socorro a migrantes da SOS Méditerranée.

Alemanha

Michael Schulte - You Let Me Walk Alone

Mais uma inspiração da vida real: You Let Me Walk Alone é dedicada ao pai de Michael Schulte, que morreu há 13 anos, e um tributo à forma como este o preparou para ser independente (o próprio intérprete vai ser pai no verão). A carreira de Schulte, que cresceu na fronteira entre a Alemanha e a Dinamarca, começou através de vídeos no YouTube, seguindo-se um terceiro lugar na primeira temporada da versão alemã de The Voice. Hoje conta com sete álbuns no currículo.

Itália

Ermal Meta & Fabrizio Moro - Non Mi Avete Fatto Niente

Tal como a candidata francesa, Non Mi Avete Fatto Niente refere-se directamente aos tempos em que vivemos, mencionando os atentados terroristas que têm ocorrido na Europa, do massacre do Bataclan aos atentados na Catalunha, mas também o que se passa no resto do mundo. Além de cantores e compositores, os dois intérpretes são também conhecidos no mundo da televisão. Ermal Meta é jurado em Amici di Maria De Filippi, um concurso de talentos, enquanto Fabrizio Moro apresentou Sbarre, um documentário/reality show sobre prisões. Ambos já tinham participado antes no Festival de Sanremo, que apura as canções para a Eurovisão.

Espanha

Alfred & Amaia - Tu Canción

A selecção para a Eurovisão em Espanha fez-se através da mais recente temporada da versão local do concurso Operação Triunfo. Os intérpretes do primeiro dueto que o país apresenta nesta competição desde 1975 são Alfred García e Amaia Romero. Os dois conheceram-se na casa onde ficam os concorrentes do programa e depois tornaram-se um casal. A história de amor entre os dois foi um dos pontos altos desta edição do programa, na qual Amaia se sagrou vencedora. Tu Canción, uma balada, foi revelada ao mundo com Alfred e Amaia separados, a irem-se aproximando aos poucos à medida que a canção ia avançado, até se beijarem no fim.

Reino Unido

SuRie - Storm

SuRie, o nome sob o qual a britânica Susanna Marie Cork lança música, já tem experiência na Eurovisão, só que por outro país que não o Reino Unido. Em 2015, fez coros para Loïc Nottet e no ano passado foi directora musical de Blanche, dois candidatos que a Bélgica enviou à Europa. Desta feita, SuRie concorre em nome próprio, pelo seu país natal, com um tema de música de dança sobre como os maus tempos são, tal como as tempestades, passageiros. Storm mudou um pouco desde que foi apresentado originalmente: antes começava só com voz e piano e a versão da Eurovisão terá uma batida logo desde o início.

Portugal

Cláudia Pascoal - O Jardim

Tal como a canção alemã, a candidata portuguesa, apurada na final do Festival da Canção que decorreu em Guimarães no início de Março, é uma homenagem a alguém que morreu. Neste caso, a avó de Isaura, a artista que escreveu o tema e canta uma parte dele ao lado de Cláudia Pascoal, num cenário de palco despojado. 

Apuradas das semifinais:

Albânia

Eugent Bushpepa - Mall

Eugent Bushpepa é um cantor de rock que trabalha regularmente desde 2006, quando se tornou vocalista de um programa de televisão na Albânia após ter morado uns anos em Itália, mas ainda não lançou um álbum em nome próprio, só singles. Já fez a primeira parte de concertos de bandas como Deep Purple e actuou com Ron Thal, que foi guitarrista dos Guns N' Roses de 2006 a 2014. As suas tatuagens, de pessoas como Jimi Hendrix, Jim Morrison e Elvis Presley, levaram a que a sua actuação fosse censurada na chinesa Mango TV, quem detinha, até isso acontecer, os direitos de transmissão da Eurovisão na China.

República Checa

Mikolas Josef - Lie to Me

Mikolas Josef é um ex-modelo que mudou de carreira para se tornar músico profissional, estudou na LAMDA (London Academy of Music and Dramatic Art) e trabalhou como músico de rua. Em Lisboa irá interpretar Lie to Me, que tem uma certa uma vibração rap/r&b retro. O cantor lesionou-se nas costas durante o primeiro ensaio para o festival ao tentar dar uma cambalhota. Após a recuperação, tem tentado saltos mais modestos, mas chegou a prometer que se chegasse à final iria repetir a acrobacia que o magoou.

Lituânia

Ieva Zasimauskaite - When We're Old

A Lituânia foi o último país a apurar uma canção para a Eurovisão. When We’re Old, uma balada ao piano, é interpretada por Ieva Zasimauskaite, que já tentou várias vezes ir à Europa, mas só agora conseguiu. É uma jura de amor ao seu marido, que aparece consigo em cima do palco, e tem uma parte em lituano.

Israel

Netta - Toy

Netta Barzilai representa Israel, que já ganhou três vezes a competição, com Toy, uma canção de afirmação no feminino (parte do refrão é “I’m not your toy, you stupid boy”) inspirada pelo movimento #MeToo que tem referências à Wonder Woman – que no cinema é interpretada por Gal Gadot, uma compatriota de Netta. O tema tem inclui a intérprete a cantar algo que se aproxima do som do carcarejar de uma galinha – com uma dança a condizer –  e junta pop, rap e música mizrahi.

Estónia

Elina Nechayeva - La Forza

A cantora da Estónia é uma soprano de formação clássica, e isso é aproveitado por La Forza, uma canção pop operática cuja letra é em italiano. Em palco, a intérprete tem uma saia grande que está sempre a mudar de padrão.

Bulgária

Equinox - Bones

Os Equinox são compostos por cinco cantores, três deles búlgaros (Georgi Simeonov, Vladimir Mihailov e Zhana Bergendorff, a vencedora de uma temporada da versão local de X-Factor) e dois norte-americanos (Trey Campbell, que foi ao American Got Talent e Johnny Manuel, que co-escreveu a canção). Bones, uma balada electrónica com algo de soturno, foi, tal como a concorrente austríaca, Nobody But You, de César Sampson, produzida por Symphonix International, um grupo de produtores vienense.

Áustria

Cesár Sampson "Nobody but You"

César Sampson foi membro do grupo de produtores Symphonix International, que também tiveram mão em Bones, de Equinox, a canção concorrente búlgara, e em outros temas que a Bulgária já levou à Eurovisão. Nobody But You é pop electrónica com toque gospel.

Finlândia

Saara Aalto - Monsters

Das outras duas vezes que Saara Aalto tentou ir à Eurovisão, em 2011 e 2016, com canções que ela própria escreveu, ficou em segundo lugar. A cantora, que já passou pelas versões finlandesas dos programas The VoiceX-Factor, foi escolhida para cantar na competição internacional, com um tema co-escrito por ela e pelo casal sueco Joy e Linnea Deb, que trabalharam com nomes como 5th Harmony, JoJo ou Akon, e KiFi. Tem um impressionante espectáculo de palco, aparecendo a andar às rodas.

Irlanda

Ryan O'Shaughnessy - Together

Tal como muitos outros cantores em competição, Ryan O’Shaughnessy tem uma carreira que foi ajudada por concursos de talentos televisivos, neste caso, Britain’s Got Talent e a versão irlandesa do The Voice. Together é um tema pop-rock sobre o fim de uma relação que foi co-escrito pelo cantor que é sobrinho de Gary O’Shaughnessy, artista que representou este país na Eurovisão em 2001, com Without Your Love. Foi o outro artista censurado na China durante a primeira semifinal do concurso, por ter dançarinos que perfaziam um casal gay.

Chipre

Eleni Foureira - Fuego

Nascida na Albânia e residente em Atenas, Eleni Foureira fez parte do grupo Mystique, que começou em 2007. Fora da banda, tem feito uma longa carreira a solo. Em Fuego só a palavra que lhe dá nome é em espanhol, o resto da canção é em inglês, com muitas lições aprendidas da pop e do r&b norte-americanos.

Noruega

Alexander Rybak - That's How you Write a Song

Alexander Rybak já participou na Eurovisão em 2009, e goza de grande popularidade no seu país. Tal como Fazer uma Cançãotema que os portugueses Blocco (dos quais fazia parte Ricardo Carriço) levaram ao Festival da Canção de 1991, a sua That's How you Write a Song versa sobre o próprio acto de escrever uma canção, com um certo ambiente disco-funk. É um tema que é cantado com desenhos de instrumentos, corações e notas musicais a aparecerem em tempo real por cima do intérprete.

Sérvia

Sanja Ilic & Balkanika - Nova Deca

Os Balkanica de Sanja Ilic tentam dar um toque algo moderno (e por "moderno" entenda-se "à anos 1990") à música bizantina e medieval sérvia, com flauta e toques electrónicos. É isso mesmo que acontece em Nova Deca, com três vocalistas – duas mulheres e um homem.

Dinamarca

Rasmussen - Higher Ground

A candidata dinamarquesa é interpretada por (Jonas Flodager) Rasmussen, que tem farto cabelo e barba, canta nos Hair Metal Heröes, uma banda de versões dos anos 1980, e é alguém cuja carreira tem passado também pelo teatro musical. Higher Ground, que pouco ou nada tem que ver com a canção homónima de Stevie Wonder, é inspirada pela história do chefe viking Magnus Erlendsson. Segundo o intérprete, é um tema sobre resolver conflitos de forma pacífica, sem recurso à violência.

Moldávia 

DoReDos - My Lucky Day

A candidata moldava é interpretada por um trio nacional, natural de Rybniza, na Transnístria, mas a canção não fica confinada às fronteiras do país: tem sopros dos balcãs, foi escrita por Philipp Kirkorov, um popular cantor e apresentador russo de origem búlgara, e o teledisco soalheiro que apresenta o tema foi filmado num dia não muito veraneante em Santorini, na Grécia. Em palco, têm um impressionante jogo de abrir e fechar portas e janelas e duplo para cada um dos cantores, vestidos de azul, amarelo e vermelho.

Holanda

Waylon - Outlaw In 'Em

Willem Bijkerk, como é conhecido na vida civil, é um cowboy holandês que foi roubar o seu nome artístico a Waylon Jennings, o seu herói, e faz outlaw country – daí o nome da canção apresentada – e rock sulista norte-americano. Foi escolhido para representar o seu país e partiu para Nashville, no Tennessee onde escreveu cinco canções e escolheu uma delas para trazer a Lisboa. É a segunda vez que participa na Eurovisão: em 2014 participou como membro de The Common Linnets, uma banda que partilhava com Ilse DeLange.

Austrália

Jessica Mauboy - We Got Love

Jessica Mauboy ficou em segundo lugar na quarta época da versão australiana de Ídolos. Mesmo não tendo vencido a competição, a projecção que conquistou deu-lhe uma grande fama no seu país. E possibilitou o lançamento de vários álbuns e singles de sucesso, transformando-o numa das artistas mais bem-sucedidas da Austrália. Filha de pai timorense e mãe indígena australiana, tem colaborações com nomes como Ludacris, Flo Rida, Snoop Dogg ou Pitbull e, além da música, também é actriz de cinema e televisão. Vai apresentar em Lisboa We Got Love, um tema pop electrónico com muito de radiofónico.

Hungria

AWS - Viszlát nyár

Os AWS existem desde 2006 e lançaram Fata Morgana, o primeiro álbum, em 2011. Vivem na intersecção entre o pós-hardcore e o metal, com uma variedade de gritos que pode remeter para ambos os géneros. O vocalista actua de pés descalços e o guitarrista faz stagediving. São, sem dúvida, uma escolha bastante diferente de todas as outras que concorrem ao Festival.

Suécia

Benjamin Ingrosso - Dance You Off 

O apelido não engana: Benjamin Ingrosso é primo de Sebastian Ingrosso, dos Swedish House Mafia – não são os únicos músicos da família, já que a irmã Bianca canta e o irmão Oliver é DJ e produtor, por exemplo. Ingrosso tem carreira feita em musicais nos palcos e ganhou o Let’s Dance 2014, um reality show de dança. Concorre este ano com Dance You Off, pop electrónica com algo de disco-funk, e uma actuação que depende tanto das luzes que no ensaio da primeira semifinal teve de ser adiada.

Eslovénia

Lea Sirk - Hvala, ne!

Outra concorrente que só agora conseguiu chegar à Eurovisão apesar de já ter tentado várias vezes antes, Lea Sirk trará a Lisboa uma canção de música de dança electrónica. O tema da cantora que no ano passado gravou uma versão de Amar Pelos Dois é cantado em esloveno, e Hvala, ne! quer dizer “Obrigado, não!”. Vai repetir o número que fez na segunda semifinal: fingir que a música parou e pedir ao público palmas para a ajudar a cantar a cappella.

Ucrânia

MÉLOVIN - Under the Ladder

MÉLOVIN, que se chama Kostyantyn Mykolayovych Bocharov, foi vencedor de uma temporada do X-Factor ucraniano. No ano passado, este cantor que usa uma lente de contacto branca e azul no olho esquerdo tentou ir à Eurovisão com Wonder, mas acabou por ficar em terceiro lugar na final da competição ucraniana. Desta feita, conseguiu passar à fase seguinte com Under the Ladder, que tem um refrão em que várias vezes repete expressões como "whoa whoa" e "yeah".

Notícia actualizada no dia 11 de Maio de 2018