"Mariscar sem Lixo" volta ao estuário do Sado para limpar e sensibilizar mariscadores

Os voluntários são convidados a participar nesta sexta-feira em várias acções de limpeza, que vão decorrer entre as 07h30 e as 16h30, em nove zonas diferentes nas margens norte e sul do estuário do Sado.

A campanha tem como objectivo "sensibilizar os mariscadores de lingueirão para não deixarem no mar as embalagens vazias de sal fino que utilizam para capturar este bivalve".
Foto
A campanha tem como objectivo "sensibilizar os mariscadores de lingueirão para não deixarem no mar as embalagens vazias de sal fino que utilizam para capturar este bivalve". Filipe Farinha / Stills (colaborador)

A campanha "Mariscar sem Lixo" regressa nesta sexta-feira para limpar as margens do estuário do Sado, mas também para levar a cabo "a maior campanha de sensibilização do ano", dirigida a "mil mariscadores", anunciaram hoje os promotores.

O dia 30 de Março foi escolhido tendo em conta que se celebra nesta data a "Sexta-feira Santa", em que "é tradição as famílias da comunidade piscatória costeira" se reunirem "para mariscar", explicou a Ocean Alive, entidade que promove a iniciativa, num comunicado enviado à agência Lusa.

Os "voluntários pelo mar" são convidados a participar em várias acções de sensibilização e de limpeza, que vão decorrer entre as 07h30 e as 16h30, em nove zonas diferentes nas margens norte e sul do estuário do Sado, no distrito de Setúbal.

A iniciativa está integrada na campanha "Mariscar sem Lixo", que pretende alertar para "o problema global do plástico no oceano", tendo como objectivo "sensibilizar os mariscadores de lingueirão para não deixarem no mar as embalagens vazias de sal fino que utilizam para capturar este bivalve".

Segundo os promotores, na sexta-feira, data em que se assinala o segundo aniversário da campanha, a intenção é conseguir o maior número de voluntários para sensibilizar directamente os mariscadores, entre as 07h30 e as 11h00, e limpar as margens do estuário, entre as 10h30 e as 14h00.

Só numa acção de limpeza, realizada a 18 de Fevereiro, 219 voluntários encontraram, numa extensão de 8,2 quilómetros junto aos portos palafíticos da Carrasqueira e do Possanco, em Alcácer do Sal, mais de quatro mil embalagens de sal e perto de 7,5 toneladas de resíduos, 6,6 das quais não recicláveis.

A campanha, que tem como parceiro o Comité Nacional para o Programa Internacional de Geociências da UNESCO, já envolveu, ao longo de dois anos, mais de 2200 voluntários, tendo permitido retirar do estuário do Sado, desde 2016, 41 mil embalagens de sal e 36 toneladas de lixo, das quais apenas 4,9 toneladas de resíduos puderam ser encaminhadas para reciclagem.

O projecto "Mariscar SEM Lixo" abrange ainda a promoção de várias iniciativas de limpeza do estuário do Sado ao longo do ano, mas também acções de "sensibilização directa aos mariscadores e comunidade piscatória" e ainda a criação de uma rede de stakeholders locais que visa encontrar e implementar soluções que evitem o lixo da mariscagem.

Desde 2017, a Ocean Alive é apoiada pela Fundação Oceano Azul e pelo Oceanário de Lisboa para a realização de grandes acções de sensibilização e para a criação de uma rede de agentes de sensibilização, formada por mulheres da comunidade piscatória local, que promovem boas práticas para proteger as pradarias marinhas do plástico da mariscagem e do lixo da pesca.