Michel Platini acusa FIFA e TAS de não terem “juízes verdadeiros”

O antigo dirigente foi suspenso de funções como presidente da UEFA por ter recebido 1,8 milhões de euros em 2011 por suposto trabalho de consultadoria, sem que houvesse um contrato escrito.

Michel Platini foi presidente da UEFA de 2007 a 2015
Foto
Michel Platini foi presidente da UEFA de 2007 a 2015 Reuters/RUBEN SPRICH

O ex-presidente da UEFA Michel Platini disse que a FIFA e o Tribunal Arbitral Desportivo (TAS) não têm "juízes verdadeiros" e acredita que acabará por ter a razão do seu lado, em entrevista à revista Marianne. O antigo dirigente e futebolista internacional francês foi suspenso de qualquer actividade relacionada com futebol em Maio de 2016, tendo, em Junho do ano passado, visto o Tribunal Federal Suíço confirmar esta decisão.

"Não posso aceitar perder quando não fiz nada, tendo ainda sido impedido de trabalhar por quatro anos no futebol. Quem é que são esses palhaços para me impedirem de trabalhar?", Questionou Platini.

Em Janeiro, Platini recorreu da decisão para o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. "Estou à espera das grandes decisões, das reais, das do promotor público suíço, ele é que fez uma investigação sobre esse pagamento supostamente desleal", acrescentou.

Platini foi suspenso de funções, na sequência do escândalo do pagamento de 1,8 milhões de euros em 2011 por suposto trabalho de consultadoria, sem um contrato escrito, pedido por Joseph Blatter (ex-presidente da FIFA) realizado pelo francês em 2002.