Dado Ruvic/Reuters
Foto
Dado Ruvic/Reuters

Megafone

Não, o Facebook não tem de pedir desculpa

Porque se o Facebook tem de pedir desculpa, então onde vai tudo parar? Terá o Facebook ganho escrúpulos? Terá o capitalismo ganho escrúpulos? Não acredito

E viva o Facebook, não sei qual é a surpresa se toda a gente “posta” online, se toda a gente se está nas tintas para a privacidade quando toda gente, todos nós, podemos ser o que a História sempre negou: a possibilidade, real, de sermos bonitos, ricos e famosos, com uma legião de fãs genuinamente interessada na tralha toda impressa na Net ao sabor da vontade e à velocidade do pensamento, dia após dia, mês após mês, ano após ano. Senão, reparem: a minha fotografia está online, para toda a gente ver, e o Facebook é o nosso palco com o mundo nos pés a olhar para cima, a olhar para mim, para ti, para todos nós. 

 

O Facebook é um logro, uma fantasia, um mar de invejas e raivinhas atiradas pela janela para o vizinho do lado ver entre jantares fora, férias, o café à beira-mar, as fotografias dos miúdos, mais fotografias dos miúdos, aquela barriga de grávida, meu Deus, a santidade de se ser mãe e ser mãe é um estado de graça, que o diga a minha de chinelo na mão, o pôr-do-sol, outro pôr dor sol, tantos pores-do-sol, aquela festa, a vida é boa e até parece que ninguém trabalha, eu não trabalho e o vizinho do lado que trabalhe por mim. 

 

E não, o Facebook não tem de pedir desculpa, as pessoas, nós todos mais as nossas contas pessoais, públicas, narcisistas, cheios de nós mesmos e embriagados por esta ilusão de que somos importantes, nós é que devemos pedir desculpa, desculpa por esta exposição livre e aberta pela qual somos responsáveis, de bom grado oferecendo informações, imagens, momentos íntimos, as nossas vidas, a data de nascimento, o dia da morte, os nossos gostos e sonhos, tudo de mão beijada para que uma empresa faça dessa informação como bem lhe aprouver. 

 

Porque se o Facebook tem de pedir desculpa, então onde vai tudo parar? Terá o Facebook ganho escrúpulos? Terá o capitalismo ganho escrúpulos? Não acredito. Quando muito, desculpas aos accionistas, esses sim os maiores interessados no lucro da empresa e com razões mais que suficientes para expressar o seu descontentamento face às notícias dos últimos dias. 

 

O Facebook é uma empresa, e uma empresa existe com um único propósito: gerar dinheiro, e muito, e muito rapidamente, sem olhar a meios, sempre à procura do fim. E nós, ao criarmos contas nesta empresa, somos todos cúmplices. 

 

E não, não me venham com tretas sobre a manipulação de votos. Felizmente, ou infelizmente, somos todos adultos e vacinados, recebemos informação e, supostamente, temos a obrigação de filtrar essa informação, votamos em consciência, ou sem, mas votamos, tomamos decisões e responsabilizamo-nos, e se não gostarmos do resultado, paciência, na vida estamos sempre a aprender, e a aprender a corrigir os erros. Ainda vamos a tempo. 

 

E de caminho, não se esqueçam de apagar a vossa continha. Vocês não são assim tão importantes, afinal basta desligar o telemóvel para que eu deixe de saber quem vocês são. Desliguei o telemóvel, vou continuar com a minha vida. Continuem com as vossas vidas também.