Parlamento Europeu vai investigar se Facebook usou dados dos utilizadores para fins políticos

Os dados de milhões de utilizadores foram usados na campanha eleitoral de Donald Trump, nos EUA, e pelos defendores do “Brexit”, no Reino Unido. Para o presidente do Parlamento Europeu, a possibilidade é uma “violação inaceitável dos direitos dos cidadãos”.

Foto
As acções do Facebook caíram 4% esta segunda-feira Reuters/DADO RUVIC

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, confirmou nesta segunda-feira que a instituição vai investigar os relatos de mau uso do Facebook para fins políticos. A rede social está debaixo de fogo devido à sua conexão com a Cambridge Analytica, uma empresa de recolha e tratamento de informações sobre eleitores que utilizou a informação da rede social para ajudar políticos em 2016, incluindo nos EUA e no Reino Unido. 

Numa publicação no Twitter, Tajani descreve as alegações como uma “violação inaceitável dos direitos dos cidadãos”, sendo necessário uma investigação completa por parte do Parlamento Europeu. A empresa terá usado a aplicação thisisyourdigitallife? para roubar dados de pelo menos 50 milhões de perfis do Facebook para ajudar Donald Trump, nos EUA, e os defensores do “Brexit”, no Reino Unido. 

A comissária europeia da Justiça, Vera Jourova, vai discutir o problema com a rede social e com o Governo norte-americano durante a sua visita aos EUA esta semana. “Da perspectiva da União Europeia, o mau uso de dados pessoais de utilizadores do Facebook para fins políticos – se confirmado – é inadmissível”, disse Jourova em comunicado.

Num comunicado publicado na sexta-feira, o Facebook desmente as acusações e mantém que a aplicação da Cambridge Analytica foi removida em 2015 e a informação sobre os utilizadores foi destruída. Ainda assim, as acções do Facebook caíram 4%, no período de pré-abertura da sessão da bolsa de valores desta segunda-feira.

No ano passado, o Facebook tornou-se alvo de várias investigações a explorar o uso de informação da rede social na manipulação da campanha eleitoral norte-americana por agentes russos.