Protecção Civil registou 72 ocorrências na última noite. Estrada da Beira já foi reaberta

Distritos de Beja e Faro são aqueles onde se esperam condições meteorológicas mais adversas. O estado de alerta mantém-se até às 15h de domingo.

Foto
As previsões de forte agitação marítima levaram a capitania do Porto do Funchal a emitir um aviso, recomendando que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo PAULO PIMENTA

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) registou 72 ocorrências, que não provocaram vítimas, entre as 18h de sexta-feira e as 8h deste sábado. Há pelo menos uma estrada cortada, depois da circulação ter sido restabelecida na Nacional n.º 2, em Castro Daire. A circulação esteve também cortada na Estrada da Beira, na zona de São Frutuoso, Coimbra, devido a um deslizamento de terras — mas a via foi reaberta por volta das 17h30 de sábado.

À agência Lusa, o comandante adjunto operacional da ANPC, Manuel Cordeiro, sublinhou que face aos avisos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), sobretudo para o sul do território continental, a Protecção Civil vai manter-se em alerta até às 15h de domingo.

As 72 ocorrências registadas na última noite e madrugada aconteceram sobretudo nos distritos de Viseu, Coimbra, Porto, Lisboa e Leiria, relacionando-se, maioritariamente, com limpeza de vias nos distritos que estiveram sob aviso de queda de neve, deslizamentos de terras, com 13 ocorrências no distrito de Coimbra ou quedas de árvores, com 10 ocorrências registadas pela ANPC.

Durante a madrugada houve algumas estradas. O trânsito deixou de circular às 4h30 na Estrada Nacional 17, conhecida por Estrada da Beira, nos dois sentidos "entre o Cabouco e Segade", devido a deslizamento de terras na zona de São Frutuoso. Após "os serviços de limpeza" da estrada, a via foi reaberta por volta das 17h30 deste sábado, disse ao PÚBLICO fonte do Destacamento de Trânsito de Coimbra, pertencente à GNR?.

A ocorrência aconteceu em São Frutuoso, zona onde já se registaram vários deslizamentos de terras durante este mês.

Também a Estrada Nacional nº. 2, no concelho de Castro Daire, na zona de Mezio, esteve cortada ao trânsito devido à queda de neve, tendo a circulação sido restabelecida pelas 12h.

Avisos para o sul do país

As previsões de forte agitação marítima para o arquipélago da Madeira levaram também a capitania do Porto do Funchal a emitir neste sábado um aviso, recomendando que as embarcações permaneçam nos portos de abrigo. Este alerta, que menciona ainda que visibilidade nos mares do arquipélago será "temporariamente fraca a partir da tarde", está em vigor até às 6h de domingo. As ondas serão de noroeste até os quatro metros na costa norte da ilha e de dois metros na parte sul.

De acordo com a página do IPMA, os distritos de Beja e Faro são aqueles onde se esperam condições meteorológicas mais adversas, estando activo o aviso laranja entre as 15h e as 21h para ambos os distritos por previsões de vento forte, com rajadas até 90 quilómetros por hora.

Para o distrito de Faro o IPMA activou também o aviso laranja – o segundo mais grave numa escala de quatro – entre as 18h deste sábado e as 6h de domingo, por previsões de agitação marítima, com ondas que podem atingir os 5,5 metros na costa ocidental e ondas até 5 metros na costa sul.

Os avisos baixam depois o nível de gravidade para amarelo, permanecendo activos, em alguns casos até ao meio-dia de domingo.

Beja e Faro têm ainda activo um aviso amarelo por precipitação até às 21h deste sábado, prevendo-se chuva por vezes forte nestes distritos.

Há ainda outros avisos amarelos activos nos distritos de Évora, Portalegre, Setúbal, Lisboa, Leiria e Santarém, por previsões de chuva, vento e agitação marítima.

Alertas da Protecção Civil

Face a estas previsões meteorológicas, a ANPC recomenda a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada dos inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas, a adopção de uma condução defensiva através da redução da velocidade e a uma adequada fixação de estruturas soltas.

Evitar atravessar zonas inundadas de modo a precaver o arrastamento de pessoas e viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas, ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas e na circulação junto à orla costeira e zonas ribeirinhas são outras recomendações da Protecção Civil.