Tasmânia é o primeiro estado australiano a eleger maioria feminina no parlamento

As mulheres representam 28% dos membros parlamentares em todo o mundo, de acordo com dados do Fórum Económico Mundial.

Foto
São treze as deputadas eleitas nesta última legislatura num total de 25 lugares para a Câmara dos Deputados

A Tasmânia tornou-se o primeiro estado na história australiana a eleger uma maioria de deputadas femininas na mais recente legislatura, abrindo caminho para uma maior representatividade parlamentar feminina. A ilha australiana, que corresponde ao estado mais pequeno do país, realizou as eleições a 3 de Março, no entanto as contagens foram finalizadas apenas esta quinta-feira, de acordo com o jornal The Australian.

Num total de 25 lugares, treze mulheres e doze homens foram eleitos para a Câmara dos Deputados, um marco considerado pelos políticos locais como “esmagadoramente emocionante”, segundo a BBC. “Isso demonstra às jovens mulheres que um futuro na política e papéis de liderança são atingíveis”, disse à estação britânica Michelle O’Byrne, a número dois do Partido Trabalhista da oposição.

O Território da Capital Australiana também elegeu uma maioria feminina na legislatura de 2016, no entanto este não é considerado um estado. As Assembleias da Tasmânia e do Território da Capital Australiana possuem uma maior proporção de mulheres do que o Parlamento federal da Austrália, onde quase 70% dos membros são homens. O Índice das Diferenças Globais entre géneros de 2017, publicado pelo Fórum Económico Mundial, observou que as mulheres representam 28% dos membros parlamentares a nível mundial e 47% dos países já teve uma mulher como chefe de Estado, de acordo com dados divulgados pela BBC.  

O’Byrne explicou que as acções afirmativas – políticas públicas implementadas pelo governo com o objectivo de eliminar desigualdades sociais e garantir a igualdade de oportunidades – tiveram um papel importante para que sete dos dez lugares do Partido Trabalhista fossem ocupados por mulheres. “Isso mostra que se quisermos mudar a composição do parlamento, então impor essas regras também ajuda a mudar a cultura que encoraja as mulheres a envolverem-se na política”, acrescentou à BBC. 

Apenas nove mulheres tinham sido eleitas nas eleições anteriores na Tasmânia, em 2014, disse o analista Kevin Bonham à estação britânica, o que demonstra uma progressão na representatividade feminina na política australiana. Actualmente, o governo da Tasmânia é formado maioritariamente pelo Partido Liberal da Austrália, liderado por Will Hodgman, que foi reeleito nas eleições de 2018.

Texto editado por Maria Paula Barreiros