Escolas da região Oeste registam pouca adesão à greve

Ministério da Educação admite descongelar dois anos e dez meses de tempo de serviço aos docentes, mas o Sindicato dos Professores quer ver contabilizados os nove anos e quatro meses.

Os sindicatos prometem divulgar às 11:00 dados de adesão à greve nas escolas da região Oeste
Foto
Os sindicatos prometem divulgar às 11:00 dados de adesão à greve nas escolas da região Oeste Ricardo Lopes

Várias escolas da região Oeste, no norte do distrito de Lisboa, começaram hoje o dia com aulas e com poucos professores em greve, de acordo com fontes daqueles estabelecimentos contactadas pela agência Lusa.

Na Escola Secundária José Saramago, a maior do concelho de Mafra, com 1800 alunos, foram poucos os professores que fizeram greve às 08:30 e a maior parte dos alunos estão a ter aulas. O mesmo se passa nas escolas de terceiro ciclo e secundária Henriques Nogueira e Madeira Torres, em Torres Vedras.

"Nota-se alguma adesão à greve, mas não o suficiente para encerrarmos a escola para já", disse uma fonte da Escola Madeira Torres.

Na Escola Secundária Damião de Góis, em Alenquer, grande parte dos alunos viram as aulas começar às 8h30, havendo apenas poucos docentes em greve. À semelhança de Alenquer, na Escola Secundária Dr. João Manuel Delgado e na EB2,3 Dr. Afonso Rodrigues Pereira, na Lourinhã, dos 23 professores em serviço às 8h30, apenas um aderiu à greve em cada escola.

Os sindicatos prometem divulgar às 11h dados de adesão à greve nas escolas da região Oeste. Na segunda-feira, sindicatos dos professores e Ministério da Educação não chegaram a acordo em relação à contagem do tempo de descongelamento das carreiras. A tutela admite descongelar dois anos e dez meses de tempo de serviço aos docentes, enquanto estes não desistem de ver contabilizados os nove anos e quatro meses.

Como não chegaram a acordo, os professores mantiveram a greve prevista para entre hoje e sexta-feira. A greve abrange hoje as escolas dos distritos de Lisboa, Setúbal e Santarém e na região autónoma da Madeira, na quarta-feira, as da região sul (Évora, Portalegre, Beja e Faro), na quinta-feira as da região centro (Coimbra, Viseu, Aveiro, Leiria, Guarda e Castelo Branco) e, na sexta-feira, é a vez da região norte (Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real e Bragança) e na região autónoma dos Açores.