Chuva, neve, vento e ondulação forte. A Gisele chega esta quarta-feira a Portugal

Protecção Civil emite alerta para todo o território continental devido à aproximação da depressão Gisele.

Foto
IPMA prevê chuva e ventos fortes para esta quarta-feira Diogo Baptista

O mau tempo está de regresso. A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) alertou esta terça-feira para o agravamento das condições meteorológicas, prevendo-se a ocorrência de precipitação, intensificação do vento, queda de neve e agitação marítima ao longo do dia de quarta-feira, devido à passagem da depressão Gisele (assim nomeada pelos serviços meteorológicos português, espanhol e francês).

Baseando-se em informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a Protecção Civil alerta para a queda de neve a partir da cota dos 1800 metros, diminuindo para a cota dos 1000 metros a partir da tarde, nas regiões Centro e Norte.

A precipitação acumulada poderá atingir 30 mm entre as 00h00 e as 12h00 e 40 mm nas 12 horas seguintes, especialmente a Norte do Tejo. Já o vento poderá atingir rajadas máximas de 100 quilómetros por hora, podendo ser pontualmente superior nas zonas mais expostas ou elevadas. Quanto à agitação marítima, prevê-se que, a partir das 15h00, ondas de oeste/noroeste atinjam uma altura de 4 a 5 metros em toda a costa, situação que se poderá prolongar até à manhã de sexta-feira.

Face às previsões meteorológicas, a Protecção Civil alerta para a eventual formação de lençóis de água e acumulação de neve nas estradas, apelando aos condutores que tenham uma condução defensiva e reduzam a velocidade. Avisa ainda a população para a possibilidade de inundações nos meios urbanos e locais mais vulneráveis, devido à acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem, pelo que é necessário garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento e retirar inertes e outros objectos que possam ser arrastados ou criarem obstáculos ao livre escoamento das águas. O mau tempo pode ainda provocar danos em estruturas montadas ou suspensas; quedas de ramos ou árvores; possíveis acidentes na orla costeira; deslizamentos ou desabamentos de terras e, consequentemente, a obstrução de vias de circulação.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Protecção Civil recorda a necessidade de serem adoptadas medidas de prevenção, para além das já referidas, nomeadamente a colocação de correntes de neve nos veículos; evitar atravessar zonas inundadas para precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas; garantir a fixação segura de andaimes, placards e outras estruturas suspensas. A população é ainda alertada a não praticar actividades relacionadas com o mar como pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar; evitar o estacionamento de veículos próximos da orla marítima e evitar a circulação em terras altas, áreas arborizadas ou zonas costeiras e ribeirinhas vulneráveis a galgamentos.

Por fim, é recomendado que a população se mantenha atenta às informações da meteorologia e às indicações da Protecção Civil e das Forças de Segurança.