Fotografias inéditas dos Beatles vão ser leiloadas em Liverpool

Colecção reúne mais de 400 imagens registadas por Mike Mitchell em dois dos primeiros concertos dos Fab Four nos Estados Unidos, em 1964.

Foto
Os Beatles fotografados nos Estados Unidos, em 1964 Mike Mitchell

Não será certamente o derradeiro leilão com memorabilia dos Beatles, mas também não será um igual a tantos outros que vêm sendo realizados ao longo dos anos. No próximo dia 24 de Março, a casa Omega leiloará em Liverpool mais de 400 fotografias (367 delas inéditas) tiradas pelo fotógrafo norte-americano Mike Mitchell em dois dos concertos realizados pelos futuros Fab Four no primeiro ano em que se apresentaram nos Estados Unidos, em 1964.

Nessa altura, Mitchell tinha 18 anos, trabalhava para duas publicações em Washington, e conseguiu uma acreditação para acompanhar a chegada da banda, e depois a conferência de imprensa e o primeiro concerto que Paul McCartney, John Lennon, George Harrison e Ringo Starr fariam nos Estados Unidos, no Coliseu da capital, na noite de 11 de Setembro – apenas dois dias após a histórica apresentação da banda britânica no The Ed Sullivan Show, da CBS.

Quando chegou a hora do concerto, o jovem fotógrafo – cuja câmara não tinha flash – reparou que não havia ninguém no palco. “Então pensei como seria ir lá para cima, e ver o que poderia captar dali”, disse Mitchell, numa evocação dessa sua experiência, num depoimento no YouTube.

Subiu para o palco do Coliseu de Washington e fez uma longa série de fotografias “íntimas, devido à sua proximidade com a banda, mas também espontâneas, e inocentes, reflectindo o optimismo de um jovem de 18 anos”, nota a Omega no comunicado em que apresenta o leilão.

Em Setembro do mesmo ano de 1964, já transformados em mito, os Beatles regressaram aos Estados Unidos para nova série de concertos. Mike Mitchell foi então fotografá-los a Baltimore, Maryland, na noite de 13 de Serembro – dias depois de a banda ter também actuado no Canadá.

Desses dois trabalhos de reportagem ficaram mais de 400 imagens, que o autor guardou numa caixa, devido ao défice de iluminação dos negativos, pelo facto de ter fotografado sem flash. A evolução tecnológica permitiu-lhe, várias décadas mais tarde, recuperar a integridade das fotografias, e em 2011 a Christie’s leiloou em Nova Iorque quase meia centena delas – das quais vendeu 43 pela soma de 362 mil dólares (perto de 294 mil euros, ao câmbio actual).

No leilão de 24 de Março, a leiloeira Omega vai pôr à venda as restantes 367 fotografias, assegurando que elas permanecem inéditas, e que nunca foram antes publicadas nem vistas. “A combinação da perspectiva e da luz torna estas fotografias dos Beatles únicas, algo que se reflecte no preço que foi já atingido na licitação de parte da colecção em 2011, em Nova Iorque”, realça Paul Fairweather, citado no comunicado da Omega. Segundo a BBC, a expectativa da leiloeira é que as fotografias ultrapassem agora as 250 mil libras (mais de 280 mil euros).

Mas nem só de fotografias consta o catálogo da Omega para o leilão em Liverpool. A “beatlemania” vai estar aí bem documentada, com muitas dezenas de lotes, que incluem inúmeros vinis da banda, livros e outras publicações, peças de roupa e muita outra memorabilia, que inclui mesmo o Mercedes 500 Sel AMG, preto, que George Harrison comprou em 1984; o piano centenário (um Bechstein de 1907) usado no filme Help! (Richard Lester, 1965), ou um filme em Super 8 a registar dez minutos do concerto que os Beatles deram, a 8 de Setembro do mesmo ano de 1964, na cidade canadiana de Montréal.