Pacotes-bomba já mataram duas pessoas em Austin, Texas

Autoridades não excluem motivações racistas na origem dos ataques. Vítimas mortais tinham 17 e 39 anos.

Fotogaleria
Reuters/SERGIO FLORES
Fotogaleria
Reuters/JON HERSKOVITZ
Fotogaleria
Reuters/SERGIO FLORES
Fotogaleria
Reuters/SERGIO FLORES
Fotogaleria
Reuters/JON HERSKOVITZ
Fotogaleria
Reuters/SERGIO FLORES

As autoridades norte-americanas acreditam que o envio de dois pacotes de explosivos que mataram um adolescente de 17 anos e deixaram gravemente ferida uma mulher em Austin, capital do estado do Texas, estão relacionados com uma outra explosão, na mesma cidade, no início do mês, que tinha feito outra vítima mortal. Os investigadores investigam os ataques e não afastam a possibilidade de motivações racistas, uma vez que as duas vítimas mortais eram afro-americanas e a mulher ferida é hispânica.

As explosões desta segunda-feira aconteceram no interior das habitações das vítimas, nas imediações do bairro de Windsor Park, informou o chefe da polícia de Austin, Brian Manley. Os dois ataques desta segunda-feira, o primeiro pelas 7h e o segundo pelo meio-dia, ocorreram a cerca de 20 quilómetros do local onde, a 2 de Março, outra bomba deixada no alpendre de uma habitação tinha causado a primeira vítima mortal. Anthony Stephan House, de 39 anos, estava a preparar a filha de oito anos para a escola quando a encomenda rebentou.

Num primeiro momento, as autoridades norte-americanas chegaram a admitir que esta primeira bomba poderia ter sido construída pela própria vítima e detonada acidentalmente. No entanto, e com as duas explosões desta segunda-feira, a polícia acabou por afastar esse cenário e fala agora em homicídio.

“As provas levam-nos a crer que os dois incidentes estão relacionados”, afirmou o chefe da polícia de Austin. 

As autoridades notaram ainda que nenhuma das encomendas foi entregue pelo serviço postal nacional ou por serviços de entregas como a UPS ou a FedEx, e pediu à população para alertar os serviços de urgência caso recebam uma encomenda de que não estão à espera. O pedido foi reforçado pelo procurador-geral do Texas, Ken Paxton.

“São dispositivos muito poderosos”, descreve a polícia, sem querer entrar em pormenores. “É preciso um determinado nível de competências para conseguir desenvolver algo assim”, acrescentou Manley.

Os ataques acontecem numa data em que a cidade recebe milhares de visitantes para o festival de artes e tecnologia South by Southwest - SXSW Conference and Festival. “Divirtam-se, aproveitem, mas mantenham-se atentos”, avisaram as autoridades.