No Ponto: pastéis de Al-Madan

Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.

Fotogaleria
No Ponto
Fotogaleria
Fotogaleria

Na longa Avenida D. Afonso Henriques, em Almada, situa-se a Pastelaria Meltejo, principal casa do pastel de Al-Madan. Há vários recheios à escolha, além do clássico doce de ovos e amêndoa: noz e canela, chila, maçã, chocolate e chocolate com banana. “Os nossos clientes foram-nos pedindo”, explica João Paulo Ribeiro, criador do doce, por isso foi experimentando.

O nome do pastel também foi ideia sua. “Al-Madan” evoca a história árabe da localidade e trata-se de um termo que significa “mina de ouro” ou “lugar de abundância”. A cor e o formato rectangular da massa folhada até fazem lembrar uma barra de ouro, por isso está certo. Se Almada é uma mina de ouro, este doce é uma das suas riquezas.

A Doçaria Portuguesa

Cristina Castro criou o projecto No Ponto para registar e dar a conhecer os doces do país. Tem vindo a publicar a colecção A Doçaria Portuguesa, "os mais completos livros sobre a história e actualidade dos doces de Portugal". A investigação para este trabalho levou a autora a viajar por todos os concelhos em busca de especialidades doceiras. A partir da oportunidade de ver como se faz, de falar com quem produz, de conhecer vidas, histórias e tradições associadas à doçaria, surgiram os vídeos que desvendam um pouco de cada doce. Regularmente, a Fugas revela um vídeo novo sobre um doce diferente.

PÚBLICO -
Foto
Sugerir correcção