Vânia Dias da Silva apontada para a comissão política

Cristas quer tornar mais paritária a Comissão Política Nacional.

Foto
Vânia Dias da Silva foi governante Daniel Rocha

A deputada Vânia Dias da Silva é um dos nomes fortes para integrar a Comissão Política Nacional (CPN) liderada por Assunção Cristas. A líder do CDS deverá manter a sua direcção, mas pretende tornar mais paritária a Comissão Política Nacional.

Eleita por Braga, Vânia Dias da Silva, de 41 anos, foi subsecretária de Estado Adjunta de Paulo Portas enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros e depois vice-primeiro-ministro no anterior Governo PSD/CDS. A deputada, que faz parte da comissão de Assuntos Constitucionais, Liberdades e Garantias, deverá ser uma das novidades na CPN. Assunção Cristas deverá manter os actuais vice-presidentes – Adolfo Mesquita Nunes, Nuno Melo e Cecília Meireles – e quer trazer mais mulheres para a CPN. Actualmente, a representação entre homens e mulheres está desequilibrada entre 70% e 30%, respectivamente. Não se esperam alterações na equipa da direcção. Adolfo Mesquita Nunes vai ser o coordenador do programa eleitoral.

A líder do CDS vai reabilitar o Senado, um órgão criado pelo ex-líder Paulo Portas em 2003, mas que esteve adormecido durante vários anos. A decisão foi tomada na comissão política por proposta da Tendência Esperança em Movimento (TEM), corrente interna do CDS já formalizada, que propôs ainda a homenagem a Adriano Moreira que se realizará este sábado. Miguel Anacoreta Correia, Cruz Vilaça e Nogueira de Brito são alguns dos nomes que a Comissão Política Nacional convidou para integrar o novo Senado. A TEM vai também propor no congresso que Adriano Moreira seja Presidente emérito do CDS.