E-toupeira

Luís Filipe Vieira: "Acabou a paródia instalada neste país à custa do Benfica"

Presidente dos "encarnados" promete processar criminalmente "todos os que mancharam" o nome do clube.

Foto
RIC Ricardo Campos

A conferência de imprensa de rescaldo do Benfica-Desp. Aves teve um final atípico. Não por força das declarações dos treinadores, mas porque Luís Filipe Vieira decidiu tomar a palavra para sair em defesa da honra do clube, na sequência do caso e-toupeira e da divulgação dos e-mails que tem atravessado o universo dos "encarnados" nos últimos tempos. E uma das frases fortes do presidente das "águias" foi esta: "Todos os que mancharam o nosso nome têm de ser criminalmente penalizados".

Aparentemente descontraído antes da intervenção, de garrafa de água na mão, Luís Filipe Vieira endureceu o tom à medida que a "declaração aos benfiquistas" que decidiu proferir foi avançando. "Quero dizer a todos os benfiquistas que nunca, nem eu nem a direcção, manchámos a honra ou a dignidade do Benfica. O que se tem passado, infelizmente para nós, é que fomos vítimas de um ataque sem precedentes em Portugal. Violaram o nosso espaço, a nossa privacidade e até hoje nada sucedeu", começou por apontar. 

"As denúncias anónimas funcionaram para o Benfica de uma forma que ainda não compreendo, com visitas a nossas casas. É preciso ter a noção exacta do que nos fizeram. Não nos conseguem defrontar pela competência e quiseram vencer-nos ao manchar o nosso nome", acrescentou o dirigente máximo dos "encarnados".

De resto, Vieira admite que a marca Benfica tem saído beliscada de todas as polémicas tornadas públicas. "Somos uma referência no mundo do futebol e hoje temos a marca manchada, porque neste país não há algo que permita às pessoas defenderem-se. O direito ao sigilo não existiu para o Benfica. Os benfiquistas devem estar unidos, alguns têm feito o jogo do adversário, o que eu lamento. Mas eu estou muito determinado. Eu e os meus colegas vamos enfrentar tudo até às últimas consequências", asseverou. "Quem nos fez mal está identificado".

Às autoridades judiciais, o líder do Benfica deixa um pedido em forma de exigência: "Exigimos que vão a casa de quem têm de ir e é bom que o façam definitivamente. Queremos libertar-nos rapidamente do que está a suceder e só pedimos à justiça que seja célere. Porque todos os que mancharam o nosso nome têm de ser criminalmente penalizados".

Para o efeito, Vieira anunciou que, dentro de dois dias, as reacções do clube vão começar a mudar de tom: "Acabou a paródia instalada neste país à custa do Benfica. A partir de segunda-feira, haverá um gabinete de crise montado para responder aos ataques, venham eles de onde vierem".