Montero deixa Sporting bem encaminhado na Liga Europa

Colombiano marcou os dois golos do triunfo "leonino" sobre o Viktoria Plzen em Alvalade, no jogo da primeira mão dos oitavos-de-final.

Montero marcou os dois golos do Sporting em Alvalade
Foto
Montero marcou os dois golos do Sporting em Alvalade Reuters/RAFAEL MARCHANTE

Freddy Montero não é a primeira opção de ataque do Sporting. Nem a segunda. Andará, provavelmente, entre o terceiro e o quarto lugar da hierarquia nesta sua segunda vida como jogador do Sporting. Mas, sem Bas Dost, Doumbia e Rafael Leão, o colombiano passou a ser a única opção e foi a solução para o Sporting derrotar ontem o Viktoria Plzen em Alvalade por 2-0, em jogo da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa. É uma vantagem importante, mas não decisiva para o jogo da segunda mão na próxima quinta-feira na República Checa.

Não foi uma goleada robusta porque houve muito desperdício, e também não foi um jogo totalmente feliz porque William Carvalho e Coates viram amarelos e ficam de fora do jogo em Plzen. Seja como for, ficou bem marcada a diferença entre a equipa de Jorge Jesus e os líderes do campeonato checo, que só se aproximou com algum perigo no último quarto-de-hora — se tivesse marcado, a eliminatória teria ficado completamente em aberto, e teve uma boa oportunidade para o fazer, um cabeceamento perigoso de Krmentic aos 82’

A tendência natural deste Sporting é jogar com uma referência na área (Bas Dost) e apostar nos cruzamentos, ou, em alternativa, jogar na profundidade com um avançado mais rápido (Doumbia ou Leão). Montero não é um velocista, nem um homem de área, mas é um tecnicista e essa característica ficou bem patente em todo o jogo. O colombiano fez o que todos os seus colegas não conseguiram fazer — e foram muitas as oportunidades que tiveram para o fazer, desde Gelson Martins logo aos 7’, até Mathieu no tempo de compensação, com uma bola de Acuña à trave e um par de bolas de golo para Bruno Fernandes pelo meio.

Montero marcou a fechar a primeira parte e a abrir a segunda. O 1-0 surgiu na compensação da primeira parte. Fábio Coentrão acelerou pelo meio-campo, meteu em Bryan Ruiz, a bola voltu a Coentrão, que fez uma espécie de cruzamento à meia-volta e Montero, na pequena área, dominou no peito antes de rematar. Aos 49’, Bruno Fernandes conduziu a jogada até à área dos checos, deixou em Montero e o colombiano, entre dois defesas fez o 2-0, mostrando finalmente e com toda a convicção que pode ser a solução numa altura em que as opções vão escasseando.