Dos cerca de 350 documentários biográficos da RTP2, só 10% são sobre mulheres

Canal está a tentar equilibrar a balança das histórias que conta sobre as grandes figuras portuguesas e já encomendou filmes sobre Natália Correia ou Rosa Mota.

Natália Correia
Fotogaleria
Natália Correia PEDRO CUNHA
Rosa Mota
Fotogaleria
Rosa Mota Nelson Garrido
Sofia Areal
Fotogaleria
Sofia Areal ENRIC VIVES-RUBIO
Maria Teresa Horta
Fotogaleria
Maria Teresa Horta Enric Vives-Rubio
Agustina Bessa-Luís
Fotogaleria
Agustina Bessa-Luís Paulo Ricca
Sophia de Mello Breyner
Fotogaleria
Sophia de Mello Breyner ADRIANO MIRANDa
Ana Salazar
Fotogaleria
Ana Salazar Nuno Ferreira Santos

Dos cerca de 350 documentários biográficos feitos pela RTP2 em toda a sua história, apenas 10% são sobre mulheres. É um cenário que a sua actual directora identificou quando, em 2013/14, quando a RTP2 esteve para fechar, fez um inventário que mostrou estes resultados. “Foi uma fraqueza que se tornou uma força”, relata sobre o cenário que a estação pública está a tentar alterar, com encomendas em curso para cerca de 20 documentários sobre figuras femininas da história portuguesa, mas também sobre temas a elas ligados.

“Por cada cem documentários biográficos sobre homens há uns cinco de mulheres”, arrisca Teresa Paixão ao telefone com o PÚBLICO, sobre uma lista que reflecte, para a directora do segundo canal, não só o tardio ou limitado acesso das mulheres portuguesas a funções de destaque mas também a forma como se pensavam estes documentários. “A RTP encomendou muito menos coisas sobre mulheres durante muitos anos”, admite, no fundo desde a sua existência, há mais de 60 anos — a RTP2 cumpre este ano 50 anos. Agora, “a grande questão é ir fazendo”.

Existem documentários sobre Agustina Bessa-Luís, sobre Sophia de Mello Breyner Andresen ou Maria João Pires. Foram encomendados e já transmitidos documentários sobre a artista plástica Sofia Areal ou sobre a designer de moda Ana Salazar, detalha Teresa Paixão, e estão já também encomendados (mas ainda em fase de concretização) filmes sobre a rainha Catarina de Bragança, as escritoras Natália Correia, Judite Carvalho e Maria Teresa Horta, a atleta Rosa Mota ou a pintora Aurélia de Sousa — e também sobre Cláudio Tomás, José-Augusto França ou Rui Athouguia. Alguns deles, sobre Rosa Mota ou Natália Correia, devem ir para o ar ainda este ano.

Teresa Paixão diz ter “uma grande atenção” nas encomendas da RTP2 de documentários biográficos sobre mulheres, sobretudo desde esse levantamento, que nasceu da iminência do fim do canal, congeladas as compras de novos programas e obrigados que estavam a repetir o catálogo existente. “Houve uma percepção particular nessa matéria porque [o levantamento] foi feito por uma mulher”, reconhece, “e porque a sociedade também exige que exista uma paridade, uma igualdade diferente, uma nova cabeça. Porque vivo num tempo em que há muita informação sobre esta questão”.

Dois anos depois tornava-se directora do canal e direccionou, explica, “meio milhão de euros” para a encomenda de perto de 20 filmes sobre mulheres ou documentários informativos sobre temas que a elas dizem mais respeito.