A Frida Kahlo (e mais “mulheres inspiradoras”) em versão Barbie

Sim, é verdade, a Mattel vai lançar 17 novas bonecas inspiradas em mulheres reais que marcaram gerações em diversas áreas

Foto
Mattel

Frida Kahlo, Amelia Earhart ou Katherine Johnson. São três dos 17 nomes que a Mattel — a fabricante da famosa Barbie — vai agora transformar em bonecas. A propósito do Dia Internacional da Mulher, que se assinala a 8 de Março, a empresa decidiu lançar um total de 17 Barbies de forma a honrar mulheres inspiradoras, tanto do presente como do passado. Da área do futebol, do boxe, do jornalismo ou mesmo da representação e do ambiente, todas estas bonecas vêm mostrar que a vida em plástico também vai muito para lá do fantástico: vem de mulheres reais que conseguiram feitos marcáveis.

Da contracção do pronome she (ela) com o substantivo hero (herói, ou heroína, neste caso), nasce a palavra Shero, que acabou por servir de nome ao programa que a empresa californiana criou para imortalizar grandes nomes femininos. Isto em 2015, quando tudo começou. Agora, adicionam-se mais 17 nomes à série e criou-se a linha “Mulheres Inspiradoras”, que pretende homenagear três mulheres do passado.

Frida Kahlo é conhecida pelo seu estilo artístico único e pelo seu papel preponderante no activismo feminista; Earhart foi a primeira mulher piloto a cruzar o Atlântico; e Katherine Johnson esteve entre as responsáveis pelo projecto que levou o primeiro homem à lua. Todas elas mulheres, com um legado histórico, e que agora se vêem representadas em bonecas com as suas expressões faciais modeladas ao detalhe.

E depois, há mais 14 nomes — todos eles de heroínas dos dias de hoje. Chloe Kim, a snowboarder olímpica medalhada a ouro; Patty Jenkins, realizadora de Mulher Maravilha; Bindi Irwin, conservacionista australiana; Çagla Kubat, campeã de windsurf; Hélène Darroze, a “melhor chef do mundo"; Xiaotong Guan, uma actriz chinesa; Nicola Adams, campeã de boxe britânica; Hui Ruoqi, capitã da equipa chinesa de voleibol; Lorena Ochoa, golfista mexicana; Vicky Martín Berrocal, estilista espanhola; Yuan Yuan Tan, a chinesa que arrecadou o título mais notável no mundo do ballet; Leyla Piedayesh, uma empreendedora alemã; e Martyna Wojciechowska, uma jornalista polaca.

Em comunicado, Lisa McKnight, a vice-presidente da Barbie, diz que “como uma marca que inspira o potencial ilimitado das raparigas”, o propósito é relacionar o lançamento destes “modelos a seguir” com o Dia Internacional da Mulher. “As raparigas sempre conseguiram desempenhar vários papéis e carreiras, por isso estamos entusiasmados em lembrá-las que podem ser qualquer coisa.”

Foto
Mattel

Sem data prevista para que esta nova linha se encontre nas prateleiras das lojas, a Barbie promete continuar com o programa Shero — e pede mesmo que através da hashtag #MoreRoleModels os fãs (e não-fãs) desta boneca quinquagenária revelem os nomes femininos que consideram ser modelos a seguir. 

Foto
Mattel