O jardim de Isaura leva Cláudia Pascoal à Eurovisão

A música número seis foi a mais votada pelos telespectadores e a segunda mais votada pelo júri regional. É a canção eleita para suceder a Amar pelos dois.

Foto
LUSA/JOSÉ COELHO

Foi uma das actuações mais aplaudidas da noite e uma das mais aguardadas. A vitória de O jardim interpretada por Cláudia Pascoal não foi uma surpresa, mas a votação foi renhida até ao último ponto.

Para sorrir eu não preciso de nada, cantada por Catarina Miranda, foi a mais votada pelo júri regional, mas a música composta por Isaura acabou por conquistar a preferência dos telespectadores e o voto foi suberano — tal como dita o regulamento do concurso. O jardim escrita por Isaura é uma música dedicada à avó da compositora, que morreu no último ano.

Cláudia Pascoal representará Portugal no Festival da Eurovisão que se realiza nos dias 8, 10 e 12 de Maio, no Altice Arena, em Lisboa. Por ter vencedido a última edição com a canção Amar pelos dois de Salvador Sobral, Portugal organiza o espectáculo deste ano e tem acesso directo à final de dia 12 de Maio.

A cerimónia do final do Festival da Canção foi marcada por alguns momentos especiais, como a actuação de Simone de Oliveira, que recordou a Desfolhada, vencedora do Festival da Canção de 1969. Nesse ano a cantora portuguesa ficou em 15.º lugar na Eurovisão. A noite foi igualmente marcada por tributos a Fernando Tordo por Marisa Liz e às Doce. Houve ainda espaço para Luísa Sobral subir ao palco para cantar Maria do Mar, protagonizando outro dos momentos acarinhados da noite.

A 52.ª edição do Festival da Canção ficou também marcada pelo erro na contagem de votos da primeira semi-final e pela desistência de um dos favoritos à vitória, Diogo Piçarra. O músico de 27 anos afastou-se do concurso depois de ter recebido acusações de plágio.