Hater Box: o que é que te sai na rifa?

Uma caixa mecânica de um artista francês quer despertar as mesmas emoções que os “feeds” das redes sociais

Ser “voluntariamente provocadora”. Tal como as “redes sociais gostam”. Eis a Hater Box, um trabalho do artista francês parse/error que desafia o “politicamente correcto”, a “censura”, o culto da auto-adoração e o ódio e a indignação nos comentários online.

A caixa tem inscrita a palavra “Fuck”, que emparelha com uma das 45 palavras que surgem, aleatoriamente, através de um dispositivo mecânico. Quem enfrenta a caixa pode ter como resposta "Fuck Facebook", trabalho, privacidade, géneros, selfies, fronteiras, entre outras expressões escolhidas pela “força e capacidade de fazer com que as pessoas reajam”.

As declarações estão sempre ligadas às redes sociais, que, ao contrário da televisão, exemplifica o artista na memória descritiva da obra, têm “a capacidade de passar de um assunto sério para a mais absurda das notícias, sem qualquer transição”. Por isso também é que a Hater Box mistura vários conceitos, “do mais sério ao mais leve”, de modo a provocar várias emoções, explica o artista baseado em Marselha que explora a relação entre a arte, o design e os novos média.

PÚBLICO -
Foto
ParseError

As palavras mudam rapidamente para que haja pouco tempo de reflexão sobre o seu verdadeiro significado, ou para formar uma opinião própria, fundamentada. Soa familiar?