Tiffany Nutt/Unsplash
Foto
Tiffany Nutt/Unsplash

Cantanhede vai ter ciclovia urbana

A obra será dividida em duas fases: a primeira contempla uma extensão de 7,5 quilómetros; a segunda, mais cinco quilómetros de ciclovia. Investimento é de 460 mil euros

A autarquia de Cantanhede, no distrito de Coimbra, anunciou a execução da primeira fase da rede ciclável urbana do município, com cerca de 7,5 quilómetros, um investimento de 460 mil euros.

Em nota de imprensa, a autarquia explica que o traçado a executar ao longo de um ano "contempla vários troços de uma rede que permitirá fluxos de mobilidade em bicicleta no núcleo urbano da cidade e deste para áreas da envolvente que registam maior afluência diária de residentes", nomeadamente a ligações a três estabelecimentos de ensino e aos polos empregadores da zona industrial e do parque de biotecnologia Biocant.

Na nota, Helena Teodósio, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, considera o investimento "estruturante para a cidade, sobretudo porque abre caminho a um processo que visa estimular a mobilidade sustentável baseada no uso da bicicleta nos movimentos pendulares dos residentes".

A obra, inscrita no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Cantanhede, terá uma comparticipação de fundos comunitários de 75% dos custos elegíveis, nos termos da candidatura aprovada para o efeito no âmbito do quadro Portugal 2020. "A candidatura da Rede Ciclável Urbana da Cantanhede aponta como principal objectivo promover a substituição do automóvel pelo uso da bicicleta nos fluxos pendulares dos residentes. O programa de financiamento tinha essa especificidade, não contemplava projectos orientados para a vertente de lazer, o que explica a opção por este traçado, sendo certo que ele representa uma grande valorização para a cidade e grandes benefícios para as pessoas", argumenta a autarca.

Helena Teodósio afirma ainda que, do ponto de vista da orografia do território, Cantanhede "tem excelentes condições para que a ciclovia resulte em pleno". "É uma cidade plana, o que facilita imenso o uso da bicicleta e nós acreditamos que isso se vai intensificar com a rede ciclável, pois, além de garantir segurança, vai ser suficientemente abrangente ao ponto de permitir que as pessoas se desloquem desse modo nos seus movimentos diários dentro do perímetro urbano e entre este e algumas zonas periféricas com maior afluência".

O projecto contempla, numa segunda fase, mais cerca de cinco quilómetros de ciclovia, "perspectivando-se ainda, a médio prazo, a possibilidade de fazer crescer a rede para outros lugares" do concelho, adianta o comunicado.