Neve leva ao encerramento de escolas e estradas no distrito de Vila Real

IP4 continua cortada em ambos os sentidos. Alunos foram mandados para casa mais cedo em três municípios.

Foto
Dario Cruz

Centenas de alunos das escolas dos concelhos de Alijó, Sabrosa e Vila Real regressaram mais cedo a casa nesta terça-feira devido à queda de neve e formação de gelo, indicaram fontes das autarquias. O vereador da Protecção Civil de Vila Real, Carlos Silva, disse à agência Lusa que se decidiu fechar as escolas mais cedo como uma medida de precaução devido à neve que cai com alguma intensidade no concelho. A medida tem como objectivo garantir a passagem dos transportes escolares em segurança.

Também no concelho vizinho de Sabrosa, o presidente da autarquia, Domingos Carvas, confirmou que as escolas fecharam e os alunos foram transportados mais cedo para as suas casas igualmente devido à neve. Em Alijó os estabelecimentos de ensino já não abriram à tarde mas, neste caso, foi como medida de precaução devido à acumulação de gelo nas estradas.

O vice-presidente da Câmara de Alijó e responsável pela Protecção Civil, Vítor Ferreira, disse à agência Lusa que as previsões apontam para temperaturas baixas, principalmente a meio da tarde, e, como medida de precaução, o município decidiu encerrar as escolas da sede do concelho, do Pinhão e as primárias espalhadas por algumas aldeias. As actividades lectivas irão continuar suspensas durante o dia de quarta-feira, uma medida que afecta cerca de mil alunos. Na quarta-feira, ficarão também fechados os estabelecimentos do Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar.

Trata-se, explicou, de uma medida preventiva devido à possibilidade de acumulação de gelo nas estradas que poderia trazer dificuldades acrescidas na passagem dos transportes escolares. Vítor Ferreira referiu que foram também avisadas as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho para que antecipem o apoio domiciliário aos seus utentes. Os meios das autarquias estiveram no terreno a espalhar sal pelas vias.

Para além do encerramento das escolas, várias vias de circulação estiveram interrompidas. Cerca das 20h, IP4 mantinha-se cortado ao trânsito na zona de Vila Real em ambos os sentidos, devido à queda de neve, confirmou ao PÚBLICO fonte da Estradas de Portugal.

Por todo o país, as temperaturas baixaram significativamente comparativamente com o dia de segunda-feira, colocando os distritos de Bragança, Guarda e Vila Real sob aviso laranja (o segundo mais grave) devido à queda de neve. Mas os alertas estendem-se a todo o continente.

No total, a Autoridade Nacional de Protecção Civil registou 43 ocorrências desde as 18h.

"Existem vários cortes de estradas devido à queda de neve, em especial em Vila Real, e problemas em vários locais, como Montalegre, Alijó, Chaves, Cinfães ou Valpaços, entre outros, alguns sem alternativas, como é o caso da Estrada Nacional 212", disse, onde a GNR está a tentar encaminhar as pessoas. "A GNR está no local juntamente com a Protecção Civil. Existem limpa-neves a trabalhar, mas existem locais com o trânsito muito embaraçado desde as 18h", explicou fonte da GNR à Lusa.

Devido ao “quadro meteorológico persistente marcado por forte instabilidade atmosférica” esperado para os próximos dias, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) lançou um conjunto de recomendações à população.

De acordo com a ANPC, a precipitação será especialmente expressiva nas regiões do litoral Norte e Centro, onde pode ainda ocorrer trovoada e queda de granizo. Já acima dos 400 e 600 metros de altura haverá queda de neve durante a madrugada de quarta-feira. Durante o final da tarde espera-se vento intenso a Sul e moderado no litoral. A partir de quarta-feira e até sexta-feira as rajadas podem atingir os 100 km/h nas terras altas e os 80 km/h no restante território.

A partir de quarta-feira a agitação marítima atingirá ondas até sete metros, e uma forte rebentação na costa causará picos máximos com alturas entre os dez e 12 metros.

Face a estas condições atmosféricas, a Autoridade Nacional de Protecção Civil aconselha alguns cuidados. “Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento”, “adoptar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água” e especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte”, bem como “na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros”, são as principais recomendações. com Lusa