Cidadania

E se o poder pensasse a cidade com a ajuda dos seus cidadãos?

Pode uma assembleia de cidadãos ser uma espécie de segunda voz do poder político das suas cidades? É essa a ideia de um grupo de moradores de Lisboa que propôs ao município a constituição de uma assembleia deliberativa com cidadãos escolhidos de forma aleatória, para pensar “a sério” a política da cidade. O que ganham, afinal, as cidades se os munícipes se envolverem na sua gestão?