Em 2016, a garraiada sofreu alterações face a protestos e discussão na academia DR
Foto
Em 2016, a garraiada sofreu alterações face a protestos e discussão na academia DR

Estudantes vão decidir se há ou não garraiada na Queima das Fitas

Comissão Central da Queima das Fitas de Coimbra decidiu agendar um referendo à academia, marcado para 13 de Março

A continuidade da garraiada no programa da Queima das Fitas de Coimbra vai ser objecto de referendo à comunidade estudantil a 13 de Março, depois de a comissão organizadora ter proposto o seu fim.

"Para o ano de 2018, a Comissão Central da Queima das Fitas decidiu, por unanimidade, propor a abolição da garraiada como evento tradicional da festa", revelou a organização daquela festa académica, referindo que, face a essa posição, o Conselho de Veteranos e a Associação Académica de Coimbra (AAC) — entidades tutelares da Queima — acordaram em realizar um referendo aos estudantes da Universidade de Coimbra sobre o futuro da garraiada.

Segundo a nota de imprensa enviada à agência Lusa, o referendo à comunidade estudantil vai decorrer nas faculdades da Universidade de Coimbra. A decisão de propor a abolição do evento surge depois de, em 2016, a garraiada ter sofrido algumas alterações (foi retirada a lide do novilho a pé e a cavalo), face a protestos e discussão no seio da academia contra a realização da mesma.

O presidente da direcção-geral da AAC, Alexandre Amado, afirmou à agência Lusa que "é muito positivo que se debata" esta matéria, sublinhando que "há pertinência em vários argumentos que vão sendo levantados" sobre a continuidade da garraiada. Questionado pela Lusa, Alexandre Amado recusou revelar a sua posição sobre a abolição da garraiada, referindo que a direcção-geral ainda não tem uma posição institucional sobre a matéria, sendo que, em breve, deverá pronunciar-se sobre se toma ou não uma posição, ou se cada um dos seus elementos se pronuncia a título pessoal.

Também o Dux Veteranorum do Conselho dos Veteranos, João Luís Jesus, optou por não revelar a sua posição sobre a matéria, salientando que a entidade que lidera "não vai tomar nenhuma posição sobre se a garraiada deve ou não continuar". "O Conselho de Veteranos há vários anos que nota que há uma discussão crescente sobre a existência ou não da garraiada no programa oficial da Queima das Fitas", explicou, apontando que, face à posição da comissão organizadora de querer abolir a garraiada, os veteranos propuseram que esta decisão teria de ser tomada com recurso a uma consulta à academia, sob a forma de um referendo.

A edição 2018 da Queima das Fitas de Coimbra realiza-se de 4 a 11 de Maio.