Duplo atentado provoca pelo menos 18 mortos em Mogadíscio

Ataque foi reivindicado pelo grupo terrorista al-Shabaab.

Ambulância desloca-se para o local dos atentados
Foto
Ambulância desloca-se para o local dos atentados Reuters/FEISAL OMAR

Dois carros-bomba explodiram nesta sexta-feira na capital da Somália, Mogadíscio. Pelo menos 18 pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas, informou o serviço de emergência médica local. O ataque foi reivindicado pelo grupo terrorista islâmico al-Shabaab.

A polícia explicou que o motorista do primeiro carro-bomba conseguiu passar um posto de controlo de segurança num local próximo à residência presidencial, baleando os guardas ali presentes.

“Os atacantes saíram quando se aproximaram do palácio e o carro-bomba explodiu nos arredores do palácio onde estavam muitos soldados que patrulhava as ruas adjacentes”, disse à Reuters o major Omar Abdullahi.

O segundo carro explodiu pouco tempo depois, num local já afastado do palácio presidencial.

O al-Shabaab, que reivindicou o ataque, afirmou ter vitimado 15 soldados.

Esta organização terrorista, ligada à Al-Qaeda, combate o Governo da Somália e tem como objectivo a instauração de um regime fundado na sua visão extremista da lei islâmica. Durante a insurgência que dura há já dez anos, foi responsável pela morte de milhares de civis. O grupo foi ainda autor de diversos atentados noutros países do leste aficano, como o Quénia e o Uganda.

Em Outubro do ano passado, um duplo atentado em Mogadíscio matou mais de 200 pessoas. O al-Shabaab não reivindicou a autoria deste ataque, o mais mortífero na Somália desde o início da actividade deste grupo, mas é-lhe atribuída a responsabilidade.