Negrão foi eleito com o pior resultado dos últimos 16 anos

Fernando Negrão obteve 35 votos a favor para a liderança da bancada do PSD, anunciou a assessoria do grupo parlamentar. Há pelos menos dezasseis anos que não havia um resultado tão mau.

Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Fernando Negrão, que foi candidato único à liderança da bancada do PSD, conseguiu 35 votos a favor, 32 brancos e 21 nulos, de acordo com os resultados anunciados. Os 89 deputados votaram (mesmo os que se encontravam no estrangeiro em representação da Assembleia da República, à excepção de Pedro Pinto que já tinha anunciado não votar por discordar da convocação de eleições.

A lista encabeçada por Fernando Negrão era composta por sete vice-presidentes: Adão Silva, António Leitão Amaro, Margarida Mano (transitam da actual direcção), Rubina Berardo, Emídio Guerreiro, Carlos Peixoto, António Costa Silva. Manuela Tender, Clara Marques Mendes e Bruno Coimbra eram propostos para secretários da direcção propostos. Há ainda 24 elementos (coordenadores e vice-coordenadores de comissões parlamentares) que estão numa lista que será votada num segundo momento.

A estes 35 elementos propostos por Negrão deviam juntar-se mais dois membros da comissão política nacional que são deputados, o que deveria perfazer um total de 37 votos no candidato único. Destes, falharam dois.

O número mínimo de votos para a eleição não é consensual entre os próprios deputados. Segundo o regulamento interno do grupo parlamentar, o método de eleição é maioritário, o que para alguns juristas significa que Negrão teria de ter a maioria dos votos no universo de votantes. Outros consideram que, como a lista é única, o candidato está eleito com apenas um voto, tal como aconteceria numa eleição de Presidente da República em que houvesse um candidato único. 

Resultadores anteriores

O resultado de Negrão é o pior desde 2002 que há registo de notícias sobre a eleição para liderança parlamentar, segundo a Lusa. O líder parlamentar cessante, Hugo Soares, foi eleito em 19 de Julho do ano passado, para um mandato de dois anos, com 85,4% de votos, correspondentes a 76 votos favoráveis, 12 votos brancos e um nulo. Luís Montenegro, que lhe antecedeu, teve sempre votações entre os 86% e os 87%. Antes de Montenegro, Miguel Macedo tinha sido eleito em 2010 com 87,5% dos votos e Aguiar-Branco, em 2009, com mais de 96% dos votos.

Anteriormente a Aguiar Branco, a votação para a liderança da bancada parlamentar do PSD permitia votos contra, o que deixou de acontecer e actualmente a discordância em relação aos nomes propostos só pode ser expressa através de votos brancos, nulos ou da abstenção. Com este método, Paulo Rangel tinha sido eleito em 2008, com cerca de 57% de votos favoráveis. O seu antecessor foi Santana Lopes com 70% dos votos da bancada. Já Marques Guedes, quando foi eleito em 2005, recolheu 81,6% dos votos favoráveis, enquanto Guilherme Silva tinha tido 85% em 2004 e 91,3% em 2002. com Lusa

Notícia actualizada às 22h17 com acerto para 16 anos