Jennifer Lawrence não precisa que a mandem agasalhar-se

Na apresentação do seu novo filme, A Agente Vermelha, a actriz detacava-se do resto do elenco masculino, por estar com um vestido.

Foto
Getty/ David M. Benett

Durante a apresentação do filme A Agente Vermelha, em Londres, o elenco tirou fotografias ao ar livre. Jennifer Lawrence, que aparecia com um vestido de alças ao lado dos outros actores, sobressaia por ser a única sem casaco e a Internet correu, supostamente, em defesa da mesma – denunciando o contraste como um sinal flagrante de sexismo.

Mas Jennifer Lawrence não precisa que a defendam. Num post partilhado nas redes sociais, a actriz mostra-se indignada e deixa bem claro que a escolha de usar o vestido e de ser fotografada com ele, ao ar livre, é sua.

Começando por descrever toda a controvérsia como "ridícula", Lawrence diz que se sente "extremamente ofendida" pelos comentários negativos. Dununcia-os mesmo como sexistas, afirmando estarem longe daquilo que o feminismo é.

Os comentários, apesar de bem intencionados – no sentido de apontar o dedo para a diferença entre a forma como as mulheres e homens são retratados nos media –, assumem que a escolha foi de terceiros e não da actriz, implicitamente retirando-lhe esse direito. "Controlem-se, pessoas. Tudo o que visto é escolha minha. E se quiser passar frio também é escolha minha!"

"Aquele vestido Versace era fabuloso, acham mesmo que ia tapar aquele vestido deslumbrante com um casaco e um lenço?", atira. "Estive ao ar livre durante cinco minutos. Teria estado na neve por aquele vestido porque adoro moda e a escolha é minha", acrescenta.

Esta semana, Lawrence anunciou que no próximo ano vai pôr de lado o cinema para se concentrar no activismo político e para incentivar os jovens a participar de uma forma mais activa na sociedade.

A actriz participou recentemente na entrevista da mesa redonda da Hollywood Reporter, onde falou sobre os comportamentos abusivos que já sofreu no set de filmes e sobre a dificuldade que as actrizes sentem em defender-se, com receio de serem apelidadas de "difíceis" ou "um pesadelo". "Finalmente fiz a decisão de me defender, porque o realizador disse-me algo inadmissível e eu respondi 'não podes falar assim comigo!' E depois fui castigada e tive medo de nunca mais ser contratada. Acho que muitas pessoas não falam porque têm medo de nunca mais poderem trabalhar."

O filme A Agente Vermelha estreia em Portugal a 1 de Março.

Sugerir correcção