Marinho e Pinto e a polémica com Elina Fraga: “É o PSD…”

O antigo bastonário da Ordem do Advogados elogia trabalho de nova vice-presidente do PSD enquanto esteve na Ordem. Rui Rio também merece elogios.

Foto
Enric Vives-Rubio

Marinho Pinto, rendido por Elina Fraga na liderança da Ordem dos Advogados (OA) em 2013, diz “acompanhar à distância” a polémica em torno da nova vice-presidente do PSD, mas não se mostra espantado. “É o PSD... O PSD, como o PS e outros partidos, é assim, tem muitas clientelas. Contestam uma pessoa antes de começar a trabalhar”, afirmou.

Ainda assim, o eurodeputado entende que “a polémica está a ser feita mais pela comunicação social do que pelo PSD”.

Marinho e Pinto elogia Elina Fraga pelo trabalho que desenvolveu na Ordem dos Advogados, primeiro como vice-presidente do conselho geral e depois como bastonária. “É uma pessoa de muito trabalho, muito séria e com muita coragem e que ajudou a devolver a OA aos advogados. E teve de lutar contra muitos poderes”, afirmou ao PÚBLICO.

O advogado não comenta as opções políticas de Elina Fraga – “eu nunca a apoiei politicamente e ela nunca me apoiou a mim” –, mas afirma que “aprecia” o novo líder do PSD, salientando “o bom trabalho que fez como presidente da câmara do Porto”.

Em Janeiro, numa entrevista ao PÚBLICO e à Rádio Renascença, Marinho e Pinto já tinha elogiado Rui Rio. “É um homem com princípios muito sólidos, um homem de grande rigor nas coisas que faz – e sobretudo de muita coragem. Enfrentou poderes muito fortes, quer na cidade do Porto, quer no país. A fasquia está muito alta ao nível das exigências que o país esperará dele, ao nível do rigor, do combate a certas degenerescências que se têm instalado na Justiça, na Assembleia da República... Agora, não sei como vai ser”, disse na altura.

Questionado se se revia nas posições de Rui Rio sobre a justiça, afirmou: “Sim, sempre defendi isso. E haver um líder de um grande partido com a coragem de o dizer publicamente é um bom sinal. Agora, já começaram as movimentações em Lisboa, em alguns círculos do PSD, para lhe fazer a cama. Fizeram-na no passado: houve outro líder do PSD que teve de fugir, o Luís Filipe Menezes. Espero que o dr. Rui Rio tenha a sagacidade para resistir, não só às armadilhas, mas aos ataques frontais que vão mover-lhe. Há lobbies e clientelas poderosíssimos que não toleram quando há sinais de mudança."