Carlos Abreu Amorim anuncia demissão e diz que não assumirá cargos com Rio na liderança

O social-democrata é vice-presidente do grupo parlamentar desde 2011.

Carlos Abreu Amorim era um apoiante de Pedro Santana Lopes
Foto
Carlos Abreu Amorim era um apoiante de Pedro Santana Lopes Nuno Ferreira Santos

Um dos vice-presidentes do grupo parlamentar do PSD, Carlos Abreu Amorim, vai apresentar a demissão do cargo na segunda-feira, depois do congresso social-democrata, avança o jornal i esta quarta-feira. “Não estou disponível para fazer parte da direcção. Há um certo cansaço da minha parte em relação a esta tarefa de orientação política dos deputados e não me revejo na estratégia de Rui Rio. Não assumirei com o dr. Rui Rio nenhum cargo no partido, a não ser que ele faça uma viragem estratégica”, anunciou, em declarações àquele jornal.

O deputado defende ainda a continuidade de Hugo Soares enquanto líder parlamentar da bancada do PSD, tecendo-lhe vários elogios. “Não é uma questão de mérito, mas nenhum [dos deputados que estão disponíveis] reúne consensos mínimos ou está em posição de conseguir unir o grupo parlamentar. Muito pelo contrário. Alguns desses nomes representam um perigo em relação ao número de brancos e nulos que possam vir a obter”, acrescenta. “Já imaginou o que será se metade dos deputados não votar no líder do grupo parlamentar que o presidente do partido escolheu?”

Os deputados sociais-democratas reúnem esta quarta-feira após o debate quinzenal com o primeiro-ministro e a liderança parlamentar deverá ser um dos temas do encontro. Luís Campos Ferreira é um dos nomes apontados. Marques Mendes, Fernando Negrão, Adão Silva e José Matos Rosa são outras possibilidades.

Eleito pela primeira vez em 2011, Carlos Abreu Amorim era vice-presidente do grupo parlamentar do PSD desde então. Nas eleições internas do partido, que Rui Rio venceu, era apoiante de Pedro Santana Lopes.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações