“Algarvia” com recorde de equipas do WorldTour

Volta ao Algarve começa hoje em Albufeira. Primoz Roglic não vai defender o título obtido em 2017 mas há dois candidatos ao “tri”

Foto

As estradas do Algarve voltam a marcar o início da temporada para várias formações de ciclismo, e a 44.ª edição da Volta ao Algarve conta com um recorde de equipas da elite mundial: nada menos do que 13 equipas do WorldTour vão marcar presença na prova portuguesa, que hoje tem início em Albufeira. Ao longo de cinco etapas e 773,5 quilómetros, 175 ciclistas de 25 equipas vão lutar para suceder a Primoz Roglic, que não estará no Algarve para defender o título conquistado em 2017.

A organização da Volta ao Algarve decidiu manter a receita “que tem garantido o sucesso” na elaboração do percurso para esta edição: “duas etapas para sprinters, duas chegadas em alto e um contra-relógio individual”, pode ler-se no site oficial da prova, é aquilo que espera o pelotão. As primeiras dificuldades deverão surgir ao segundo dia, com a subida ao Alto da Fóia, em Monchique, seguindo-se na sexta-feira o contra-relógio individual em Lagoa. Domingo, na etapa decisiva, a Volta ao Algarve enfrenta a subida ao Alto do Malhão.

São argumentos suficientes para atrair algumas das mais importantes equipas internacionais, incluindo as seis melhores do ranking mundial em 2017: Sky, Quick-Step, BMC, Sunweb, Trek-Segafredo e Movistar. Algumas também estarão representadas na Volta a Andaluzia, como é o caso da Sky, que terá Chris Froome, vencedor da Volta a França em 2017, a correr em Espanha. As cores portuguesas estarão representadas pelas nove equipas nacionais de escalão continental e ainda por sete ciclistas portugueses que representam formações internacionais.

Na ausência de Primoz Roglic, serão quatro os ciclistas cujo currículo ostenta triunfos na classificação geral da Volta ao Algarve a iniciar hoje em Albufeira a 44.ª edição da prova. Esse grupo restrito é formado pelo australiano Richie Porte (BMC), o polaco Michael Kwiatkowski (Sky), o britânico Geraint Thomas (Sky) e o alemão Tony Martin (Katusha-Alpecin). Estes dois últimos têm ainda a particularidade de já terem vencido a “Algarvia” em duas ocasiões e poderem, por isso, fazer história ao serem os primeiros a sagrarem-se tricampeões.

“A Volta ao Algarve tem vindo a melhorar de ano para ano. É um evento de prestígio internacional e um dos melhores eventos desportivos que, anualmente, se realizam em Portugal. A Volta ao Algarve permite dinamizar o turismo em época baixa e, além disso, é importante para as equipas portuguesas, porque a visibilidade acrescida dos últimos anos está a desafiar as equipas a prepararem-se desde já”, sublinhou o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira, na apresentação da prova. O evento terá transmissão televisiva em directo para 120 países e em Portugal poderá ser acompanhado na TVI24 e Eurosport2.