Não é fácil ser casado com uma princesa, confessa o marido de Madalena da Suécia

Chris O'Neill e a princesa Madalena casaram-se em 2013 e aguardam o nascimento do terceiro filho, previsto para Março.

Foto
Em 2015, no baptizada do segundo filho do casal, Nicolas. Ao colo do pai está Leonore Reuters

Chris O'Neill, marido da princesa Madalena, filha mais nova dos reis Carlos Gustavo e Silvia da Suécia, decidiu, quando casou, manter a sua profissão e, por isso, só aparece em público em situações como o nascimento dos filhos, de resto, parece ser um mistério, nota o El País. O terceiro está para breve, nascerá em Março.

A King, uma revista sueca de moda masculina, anunciou que na sua próxima edição, que estará nas bancas nesta quinta-feira, terá a primeira entrevista concedida pelo marido de Madalena, sem a presença de nenhum membro da família real sueca. E nesta, que ocupa 12 páginas, Chris O'Neill fala do amor que sente pela sua mulher e da dificuldade que é ser casado com uma princesa. O casamento foi em 2013 e então, O'Neill renunciou ao título nobiliárquico que receberia pelo matrimónio.

"Madalena é a mulher da minha vida, mas casar com uma princesa envolve uma série de desafios. Isso complicou a minha vida, é claro, porque não quero tornar-me famoso. Algo que, por outro lado, não seria benéfico na minha profissão. Mas eu sou louco por ela. Então, no final, tu aprendes a aceitar a parte má que acompanha a parte boa", confessa num dos excertos que a King partilhou nas redes sociais.

O marido de Madalena é filho de Paul O'Neill, um banqueiro norte-americano, e de Eva Marie Walter. Nasceu em Londres, em 1974, e tem cinco irmãs mais velhas de casamentos anteriores dos pais. Com um bacharelato em Relações Internacionais da Universidade de Boston, EUA, e com mestrado em negócios, começou a trabalhar aos 13 anos, durante o Verão. "Limpei muitas casas-de-banho. O meu pai investiu numa empresa na Flórida, e lá eu fiz tudo, jardinagem, limpava carros de golfe... Eu gostei. Foi educativo e divertido fazer parte de algo", conta Chris O’Neill noutro excerto da entrevista.