Instituto Politécnico de Macau lança aplicação para telemóvel de português para chineses

A aplicação "Diz lá!" pretende ajudar pessoas de Macau e do interior da China a aprender português.

patricia martins
Foto
patricia martins

O Instituto Politécnico de Macau (IPM) lançou hoje, para o mercado, "uma aplicação pioneira", para telemóveis, de aprendizagem da língua portuguesa para estudantes chineses.

A aplicação "Diz lá!" pretende ajudar pessoas de Macau e do interior da China a aprender português, a facilitar a comunicação dos chineses que vão aos países lusófonos para fins de comércio e de turismo e quebrar os obstáculos e as limitações na área da aprendizagem da língua portuguesa.

"É um desafio para as instituições de ensino superior, saberem fazer parte do futuro", disse o director do Centro Pedagógico e Científico de Língua Portuguesa (CPCLP) do IPM, Carlos André, na apresentação da aplicação, na presença, entre outros, do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, e do presidente do IPM, Lei Heong Iok.

A aplicação possui diálogos com pronúncia do português europeu, mais de mil frases usadas na vida quotidiana, 400 verbos usuais conjugados e 15 mil menos usuais, além da funcionalidade "palavra do dia", permitindo aos utilizadores aprender respostas a questões, a fazer perguntas e a apresentarem-se, em 23 cenários diferentes.

O público-alvo da aplicação é, à partida, de vários milhares. "Só na China, temos quatro mil estudantes universitários. Mas há milhares de chineses no mundo que não estão ligados a um sistema de ensino", que vão poder descarregar esta aplicação, disse à margem da cerimónia.

"Tem a ver com a necessidade que as pessoas têm do português. Não há nada igual a isto no mundo", sublinhou.

Este "trabalho pioneiro coloca Macau na vanguarda da aprendizagem de português na China", acrescentou o responsável, sublinhando o trabalho desenvolvido das equipas do Laboratório de Tradução Automática Chinês-Português-Inglês, de especialistas bilingues provenientes de Portugal e de Macau, e do CPCLP, na realização da aplicação, que vai ser actualizada trimestralmente.

Carlos André lembrou ter sido "uma frase perdida" de Alexis Tam, no meio de uma conversa, que resultou nesta aplicação, que dá ao IPM a possibilidade de "fazer parte das mudanças da história".

Para o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, esta aplicação do IPM permite entrar numa "nova era" de desenvolvimento de instrumentos, no telemóvel, de ensino da língua portuguesa para falantes de chinês, resultado da estratégia de reforço do ensino de português de Macau.

"Do básico ao ensino superior há uma multiplicação de iniciativas para transformar Macau numa base qualificada de talentos bilingues", afirmou, na cerimónia de lançamento da aplicação e de vários livros de ensino do português.

O CPCLP apresentou ainda oito manuais pedagógicos, elaborados por professores do centro, em conjunto com especialistas chineses, que vão ser todos disponibilizados online.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações