Opinião

Cartas ao director

Leis laborais

Um dos argumentos preferidos dos que defendem o aumento da flexibilização das leis laborais, designadamente no que concerne a dotar as empresas de maiores facilidades para despedirem os seus empregados, é o de que, sem esses instrumentos, os empregadores não se sentem motivados a contratar mais pessoas. É claro que tudo serve para dourar a pílula, e dizer-se ao doente que, sem ela, o seu estado de saúde só vai piorar, é do mais clássico que há na prestidigitação dos dados. Diz-nos a experiência e a história dos fenómenos laborais que, sejam quais forem as condições, muito ou pouco flexíveis, os empregadores contratam sempre as pessoas de quem precisam. Nem mais, nem menos, só essas.

José A. Rodrigues, Vila Nova de Gaia

Pobrete mas alegrete...

...diz o povo! E o negócio chamado Carnaval está aí...De norte a sul do país, Madeira e Açores, os hotéis, principalmente os de 5 estrelas, estão completamente esgotados... Preços? Não interessa, o governo, vai anunciando, que as "nossas finanças" nunca estiveram tão bem, e mesmo que se gaste, é Carnaval ninguém leva a mal... Mas a verdadeira realidade, deste país, não é o Carnaval, são os mascarados de "governantes" que brincam connosco, todo o ano! Que (…) país é este feito de tanta indiferença, para com os pobres, idosos e doentes? É vergonhoso, andar-se a discutir a eutanásia, para o Estado, gastar menos com os cuidados paliativos de doentes em fase terminal, ou vejam bem, legislar sobre os animais de estimação, poderem acompanhar os seus donos nos nossos restaurantes... Sou já um velho, mas sinto que milhões como eu somos atirados para a podridão do esquecimento! Porra para esta indignidade colectiva, é que na verdade, não merecemos os nossos velhos, estes não precisam de máscaras, para brincarem nesta Quadra Carnavalesca, fazem como os governantes, todo o ano...

Tomaz Cardoso, Lisboa

O abandono dos idosos

O CDS propõe que abandonar idosos em hospitais e lares seja considerado crime. Os animais de companhia tiveram melhor sorte. Abandonar animais de estimação dá 6 meses de prisão ou 60 dias de multa. O CDS vai mais longe e quer que o aproveitamento financeiro dos idosos também seja criminalizado. Com tantas conquistas sociais após o 25 de Abril custa a entender que só agora os direitos dos mais velhos seja discutido. Como diz o ditado, “mais vale tarde do que nunca”.

Ademar Costa, Póvoa de Varzim

Crash nas bolsas mundiais

Foi tal o choque que tive ao ter conhecimento desta ‘calamidade pública’ a 6/2, que passei imediatamente a ser solidário com os mais ricos do planeta, que, num só dia, perderam 12.000 milhões de euros.

O coca-colista Warren Buffet ficou sem 4 mil milhões; ao facebookiano Mark Zuckerberg surripiaram-lhe 3 mil milhões; ao amazónico Jeff Bezos subtraíram-lhe também 3 mil milhões; o microsftiano Bill Gates foi chincado em 1,8 mil milhões, enquanto o zarista Amancio Ortega lerpou com mil milhões.

Ficando, pois, solidário com tais ‘pobrezinhos’, passei a comer somente uma refeição por dia, um modesto conduto igual aos pratos que tais ‘vítimas’ do Capital passaram a ter nos seus ‘modestos’ cardápios.

PS – Só no nosso mercado caseiro, a EDP e a Galp ficaram mais leves, conjuntamente, em mil milhões.

Esperemos que o Mexia e iguais ‘galpistas’ não se lembrem em aumentar os seus produtos, a fim de pagarmos aquilo que perderam.

José Amaral, Vila Nova de Gaia

O Público errou

Na edição de ontem, no texto sobre a indústria do calçado, o secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira, vinha erradamente identificado.