Polícia Marítima recolheu baleia de cinco metros em Cascais

Cria de baleia comum foi detectada morta ao largo das Furnas do Guincho.

Fotogaleria
Polícia Marítima
Fotogaleria
Polícia Marítima
Fotogaleria
Polícia Marítima
Fotogaleria
Polícia Marítima

A Polícia Marítima recolheu na segunda-feira a carcaça de uma baleia comum em Cascais, que tinha sido detectada por um pescador ao largo das Furnas do Guincho, a cerca de duas milhas náuticas de costa.

Nesta sequência do alerta, foi activada uma embarcação da Polícia Marítima e outra da Estação Salva-Vidas do Instituto de Socorros a Náufragos de Cascais, assim como o respectivo pessoal, por forma a deslocaram-se ao local, tomar conta da ocorrência e analisar o risco associado.

“Foi registada a presença de uma baleia comum, já cadáver, à superfície da água, com cerca de 4,90 metros, em local muito frequentado pelas embarcações de recreio e pesca locais, o que constituía assinalável perigo para a navegação”, revela um comunicado divulgado nesta terça-feira.

“Como medida preventiva e de salvaguarda da segurança local, foi decidido o reboque do cetáceo até à Marina de Cascais, onde foi içado numa das suas gruas e colocado em terra”, acrescenta a nota.

A sua remoção foi assegurada com colaboração com o Serviço de Protecção Civil da Câmara Municipal de Cascais e Marina de Cascais, tendo-se procedido à recolha dos seus dados biométricos e informado o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

“Por fim, esta cria de baleia comum foi encaminhada para um aterro sanitário, sito em Mafra”, conclui o comunicado.