Graffiters indemnizados em milhões depois de edifício ter sido demolido

Juiz considerou que 45 das dezenas de obras realizadas nas paredes do edifício eram dignas de serem preservadas.

Foto
Advogado diz que “o espírito de 5pointz transforma-se num legado para as gerações de artistas do futuro” DR

Um juiz federal de Nova Iorque, nos Estados Unidos, ditou uma sentença a favor de 21 graffiters, que haviam interposto uma acção contra o dono de um conjunto de edifícios conhecido como 5Pointz, espécie de meca da arte urbana desde os anos 1990.

Na sentença que foi conhecida esta segunda-feira, segundo o New York Times, o magistrado considera que as obras realizadas em 5Pointz eram uma expressão de arte a preservar. Os graffiters tinham obras da sua autoria no edifício. Agora, Jerry Wolkoff, o proprietário, vai ter de pagar 6,7 milhões de dólares (cerca de 5,44 milhões de euros) por ter destruído o edifício em 2014 para construir apartamentos de luxo.

A sentença considera que 45 das dezenas de obras realizadas nas paredes do edifício eram dignas de serem preservadas à luz da Lei de Direitos dos Artistas Visuais e condenou o proprietário à maior indemnização prevista. Um ano antes da demolição, em 2013, o dono do edifício havia pintado todas as paredes de branco, gerando a indignação entre os artistas de rua e não só. Durante o processo, que durou três semanas, vários especialistas de arte contemporânea certificaram a qualidade de muitas das obras.

O complexo de edifícios 5Pointz, situado em Long Island City, Queens, era um local de peregrinação obrigatória para os artistas de rua, desde os anos 1990, constituindo-se como um dos locais nos Estados Unidos com mais murais de arte urbana ao ar livre. Durante anos, centenas de artistas operaram nos seus muros e em virtude de um acordo prévio com os proprietários, podiam até ali residir por uma pequena renda. Em simultâneo o edifício era também uma atracção artística para turistas.

O misterioso artista britânico Banksy foi uma das muitas figuras que proclamou, em 2013, que o edifício não deveria ser deitado abaixo. Esta segunda-feira um dos advogados dos artistas, Eric Baum, em declarações ao New York Times, regozijou-se pelo veredicto, afirmando que “a arte protegida por leis federais não pode ser destruída”. Segundo o mesmo advogado, com esta vitória, “o espírito de 5pointz transforma-se num legado para as gerações de artistas do futuro”.