Salma Hayek diz que Weinstein ameaçou partir-lhe as rótulas

A actriz acusa o realizador de ter feito uma ameaça de morte, durante as gravações de Frida, em 2002.

Foto
Salma Hayek vestiu-se de preto para a 75.ª cerimónia dos Globos de Ouro REUTERS/Lucy Nicholson

Salma Hayek acusa Harvey Weinstein de ter ameaçado partir-lhe as rótulas dos joelhos, quando esta recusou os seus avanços, durante as gravações de Frida, em 2002. Durante a gravação de um episódio do podcast Oprah’s SuperSoul Conversations, esta quarta-feira, a actriz denuncia a campanha de abuso que diz ter sofrido às mãos do produtor.

A actriz publicou em Dezembro, no New York Times, um artigo a relatar violência psicológica e a chantagem que sofreu na sequência das suas recusas. "Harvey Weinstein também é o meu monstro", era o título da peça, em que lembrava a quantidade de vezes que teve de dizer não – "a tomar banho com ele" e a "deixá-lo fazer-me massagens", por exemplo –, durante o projecto que marcou o início da sua carreira em Hollywood. "Vou matar-te, não penses que não consigo", terá dito o realizador, segundo Hayek.

Agora, a actriz e produtora mexicana partilha ainda mais pormenores perturbadores: "[Harvey] disse que queria matar-me. Disse à Julie Taymor [realizadora do filme] 'vou partir as rótulas dos joelhos daquela 'c***'", desabafa à apresentadora norte-americana citada pelo The Hollywood Reporter.

A actriz de 51 anos sentiu-se culpada por não ter denunciado mais cedo tudo aquilo que aconteceu com Weinstein. "O [New York Times] contactou-me para ser parte da primeira história e, pela altura desse contacto, já havia muita agitação. Comecei a chorar quando me perguntaram e acabei por não o fazer", conta no podcast, citada pelo Telegraph. "Senti-me envergonhada por não dizer nada. Mas achava que a minha dor era tão pequena quando comparada com todas as outras histórias."

Segundo a actriz, Weinstein nem terá sido o primeiro homem a abusá-la assim. Ainda assim, comenta que considera ter lidado bem com a situação, na altura. "E talvez seja por isso que ele não me violou."

Weinstein respondeu às acusações da actriz na peça do New York Times, em Dezembro. Um porta-voz do produtor disse, então, que, como em todos os projectos colaborativos, "havia fricção criativa no Frida", mas que "Weinstein nunca lutou com Hayek" e "não se recorda de alguma vez ter dito algo tão horrível".

Actualmente na oitava temporada, o podcast de Oprah já teve convidados como o ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden e Malala Yousafzai.