PS de Loures disponível para negociar orçamento de águas e resíduos

Os vereadores do PS referem que chumbaram o documento para "inviabilizar o aumento da factura da água em 1,4%".

Foto
Nuno Ferreira Santos

O PS de Loures manifestou-se esta segunda-feira disponível para negociar com o executivo municipal, liderado pela CDU, o orçamento dos serviços de águas e resíduos, mas defendeu a necessidade da proposta não contemplar um aumento das tarifas.

A proposta de Orçamento dos Serviços Intermunicipalizados de Águas e Resíduos dos concelhos de Loures e Odivelas (SIMAR), no distrito de Lisboa, para 2018 foi chumbada na sexta-feira em reunião de câmara, com os votos contra do PS e do PSD e a favor da CDU.

No entanto, o documento, que prevê uma verba de cerca de 80 milhões de euros, tinha sido aprovado em Dezembro, em sede de reunião de câmara, com os votos favoráveis da CDU, os votos contra do PSD e a abstenção do PS, mas viria, posteriormente, a ser chumbado pela Assembleia Municipal de Loures, com os votos contra do PS, do PSD e do PPM, a abstenção do BE e os votos favoráveis da CDU, do CDS-PP e do PAN.

Em comunicado, os vereadores do PS referem que chumbaram o documento para "inviabilizar o aumento da factura da água em 1,4% e para levar o presidente da câmara municipal, Bernardino Soares (CDU), a encetar as necessárias negociações com todas as forças políticas".

"Loures tem a segunda facturação da água mais cara dos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa e, ao insistir na aprovação deste orçamento, a CDU não está a fazer o que está ao seu alcance para evitar mais um aumento, o que poderia passar por incorporar os custos com o aumento de 1,4% da água (cerca de 600 mil euros), à semelhança do que fizeram outros municípios", defendem.

Nesse sentido, os socialistas manifestam "disponibilidade imediata" para negociar novo orçamento com o executivo municipal, liderado por Bernardino Soares.

"Os vereadores do PS fazem saber que, como sempre, estão disponíveis para de imediato encetar as necessárias negociações para, no mais curto espaço de tempo, trazer aos órgãos municipais novos documentos", apontam.

A disponibilidade de negociar com os vereadores da oposição (PS e PSD) já tinha sido manifestada pelo presidente da autarquia na reunião do executivo de sexta-feira.
"Na próxima semana iniciarei diligências com todos os partidos para debatermos e chegarmos a um consenso. Lamento que o Partido Socialista não tivesse repetido a decisão que tomou anteriormente, mas responsavelmente iremos procurar uma solução", afirmou o autarca.

Relativamente aos aumentos da factura da água, Bernardino Soares explicou que estes reflectem "uma mera actualização do valor da inflação e que "nos anos de gestão CDU só houve até agora tarifários com aumento zero ou apenas com a actualização da inflação".

O autarca referiu que o executivo manteve sempre conversações com os restantes partidos e que, "em nenhum momento", foi levantado problemas ou dúvidas em relação ao orçamento.

Bernardino Soares alertou ainda que uma eventual alteração ao tarifário, que foi apresentado à ERSAR e que está em vigor desde 1 de Janeiro, comprometeria o acesso a fundos comunitários para realização de investimentos nas redes de esgotos e saneamento.

Depois do período de discussão e da elaboração de uma nova proposta, o documento irá novamente a reunião de câmara para discussão e votação e, caso seja aprovado, irá ser apreciado pelas assembleias municipais de Loures e de Odivelas.