Passos considera "inquietante" silêncio do Estado sobre casos de corrupção

O ainda líder social-democrata apelou "a que, de um modo geral, as forças políticas, mas em particular o Governo também saia da sua modorra e comece a pronunciar-se sobre isto e a tomar iniciativas sobre isto".

Passos Coelho falava na Guarda, onde presidiu à sessão de abertura da IV Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos Autarcas Social-Democratas
Foto
Passos Coelho falava na Guarda, onde presidiu à sessão de abertura da IV Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos Autarcas Social-Democratas LUSA/MIGUEL PEREIRA DA SILVA

O presidente do PSD considerou nesta sexta-feira "inquietante", quando são registados "casos de corrupção ao mais alto nível da sociedade", que o Estado "se refugie no andamento da Justiça", numa referência aos casos de adopções ilegais de crianças.

"É inquietante [que], num tempo em que tantas dúvidas vêm para a opinião pública sobre a transparência, a lisura de procedimentos, envolvendo casos de corrupção ao mais alto nível da sociedade, e o Estado, de um modo geral, encolha os ombros e se refugie no andamento da Justiça para que alguma coisa se faça", afirmou Pedro Passos Coelho, aludindo à falta de esclarecimentos do Governo sobre o caso de "irregularidades graves que ocorreram no âmbito da adopção de menores", noticiadas por uma estação de televisão.

O líder nacional do PSD falava na Guarda, onde presidiu à sessão de abertura da IV Academia do Poder Local, organizada pelo PSD e pelos Autarcas Social-Democratas (ASD).

No seu discurso, deixou o apelo "a que, de um modo geral, as forças políticas, mas em particular o Governo também saia da sua modorra e comece a pronunciar-se sobre isto e a tomar iniciativas sobre isto".

Passos Coelho falou do assunto aludindo à falta de esclarecimentos do Governo sobre o caso de "irregularidades graves que ocorreram no âmbito da adopção de menores", denunciadas pela TVI.